A Renascença na Ucrânia

Sobreviver em Kharkiv

21 abr, 2022 - 08:40 • José Pedro Frazão

A artilharia russa não poupa a zona norte da segunda maior cidade da Ucrânia. Em Saltivka, o maior bairro de Kharkiv, regressaram os ataques mortais a zonas residenciais e nem todos têm abrigos subterrâneos para fugir ao impacto das bombas. Em muitas casas não há eletricidade embora corra o gás em todas as tubagens para que não falte aquecimento. Muitas lojas estão fechadas, algumas bombardeadas e nem todos têm dinheiro para comprar nas que estão abertas. Mas o perigo vem sobretudo das deslocações a céu aberto em tempo de bombardeamento. É por isso que a ajuda humanitária é decisiva para fazer chegar comida e medicamentos a quem precisa. Uma das maiores filas está numa igreja greco-católica de S. Nicolau em Saltivka. A ajuda é prestada na Igreja a centenas de pessoas enquanto a artilharia russa vai fazendo vítimas a poucos quilómetros de distância.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.