A+ / A-
D. Américo Aguiar

Mensagem à diocese de Lisboa. “O Evangelho é tudo o que temos e tudo o que somos”

01 mar, 2019 - 11:00 • Filipe d'Avillez

D. Américo Aguiar endereçou uma mensagem aos fiéis de Lisboa, saudando de forma particular os jovens e o patriarca D. Manuel Clemente.
A+ / A-

Leia também:

O Papa Francisco nomeou esta sexta-feira para bispo auxiliar de Lisboa o padre Américo Aguiar.

Ordenado na diocese do Porto, o agora D. Américo transferiu-se para Lisboa em outubro de 2016, assumindo a presidência do Conselho de Administração do Grupo Renascença Multimédia.

Depois de saber da sua nomeação, D. Américo deixou uma mensagem ao povo de Lisboa, na qual, de forma especial, a confiança nele depositada pelo patriarca D. Manuel Clemente, mas recorda também outras figuras da diocese.

“Permiti que evoque também, com saudade e carinho, o Sr. Cardeal Policarpo, o Sr. Cardeal António Ribeiro, que ainda conheci”, diz, antes de falar nos outros dois auxiliares de Lisboa: “O Sr. D. Joaquim e o Sr. D. Daniel, com quem vou aprender a ser bispo, porque não me entregaram nenhum livro de instruções de como vai ser. Por isso, vou aprender com eles, de sempre e cada vez mais.”

Padre Américo Aguiar nomeado bispo auxiliar de Lisboa
A mensagem de D. Américo Aguiar após a nomeação

O novo bispo deixa ainda uma mensagem especial aos jovens de Lisboa: “Os jovens têm um desafio enorme em Lisboa para os próximos anos. O Santo Padre escolheu Lisboa para sede da Jornada Mundial da Juventude em 2022. É um desafio que supera as nossas capacidades, mas nós somos capazes. Como dizia o arcebispo do Panamá, somos distinto,s mas não somos distantes e, por isso, nas qualidades e nas apetências que Deus dá a cada um de nós, seremos capazes e fazer a melhor Jornada Mundial do Mundo para todos os jovens do mundo.”

“Como disse o cardeal patriarca, a jornada há de ser feita pelos jovens e para os jovens. Por isso, conto convosco e conto com cada um de vós para a organização da mesma.”

D. Américo Aguiar quis ainda, com a sua mensagem, mostrar a sua proximidade às pessoas em situação mais frágil: “Imediatamente após o anúncio, venho ao vosso encontro, ao encontro de cada um de vós, dos mais velhos, dos mais novos, dos doentes, dos que vivem tantas e tantas circunstâncias da vida, momentos de trevas de dificuldade e, por ventura, até se sentem abandonados ou não-acompanhados nesses momentos difíceis da vida.”

Por fim, o novo bispo auxiliar de Lisboa, que é natural de Matosinhos, diocese do Porto, onde foi ordenado, dirige-se de forma especial à cidade onde viveu grande parte da sua vida: “Agradeço ao Porto, à minha família, à minha cidade, à minha diocese, ao meu seminário tudo aquilo que fizeram por mim, porque nenhum de nós é de geração espontânea. Somos aquilo que resulta de tantas e tantas interações de pessoas e de momentos da nossa vida, que nos marcam.”

D. Américo faz questão de referir o recentemente falecido D. António Francisco dos Santos: “É essa a inspiração que quero trazer para vós, retomando o lema de D. António Francisco dos Santos ‘In Manus Tuas’, as últimas palavras de Jesus na Cruz, ‘Pai, em tuas mãos entrego o meu espírito’. É isso que quero que me lembrem todos os dias e cada dia, que estou totalmente e plenamente privatizado para este anúncio da alegria do Evangelho.”

“Como nos ensinou o Sr. D. António Francisco, não devemos temer a bondade. Só pela bondade aprenderemos a fazer do poder o serviço, da autoridade uma proximidade e do ministério a paixão pela missão de anunciar a alegria do Evangelho. O Evangelho é tudo o que temos e tudo o que somos.”

Para além desta referência, D. Américo fez questão ainda de escrever outra mensagem só para a diocese do Porto.

A ordenação episcopal de D. Américo Aguiar será no dia 31 de março, na Igreja da Trindade, no Porto. O seu lema episcopal será "In Manus Tuas".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.