Tempo
|
A+ / A-

Benfica

Luís Filipe Vieira alerta: "Vivi momentos de euforia e depois acabámos tristes"

11 ago, 2022 - 18:15 • João Fonseca

Antigo presidente do clube deixa conselho ao Benfica para "evitar euforia e ir jogo a jogo" na luta pelos títulos desta temporada.

A+ / A-

Luís Filipe Vieira apela à calma dos adeptos do Benfica após o início de temporada vitorioso das águias.

Em entrevista exclusiva à Renascença, o antigo presidente quis respeitar o momento de tristeza vivido pela morte de Chalana e não alongou sobre o momento desportivo do clube, deixando apenas um alerta, recordando que no seu tempo também se "viveram momentos de euforia" que não terminaram bem.

"Em traços gerais toda a gente deve estar feliz, mas isto não é como começa, é como acaba. Eu vivi esses momentos de euforia e depois acabámos tristes. Há que não ter euforia, ir jogo a jogo e no fim vamos ver quem ganha", disse.

Luís Filipe Vieira é arguido da operação "cartão vermelho", que investiga suspeitas de vários esquemas de fraude que causaram prejuízos à SAD do Benfica, ao Novo Banco e ao Estado português, através de impostos não cobrados e injeções de capitais públicos no Novo Banco e de financiamento ao Fundo de Resolução.

O dirigente foi detido a 7 de julho de 2021 e demitiu-se do cargo de presidente das águias uma semana depois. Em outubro, Rui Costa, seu antigo vice-presidente, foi eleito presidente do Benfica com 84,48% dos votos.

Numa das poucas entrevistas após a sua saída das águias, Vieira afirmou que era contra a contratação do treinador Roger Schmidt e pagaria a cláusula de rescisão de Rúben Amorim.

O Benfica entrou forte na época e venceu o Midtjylland na terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões, para além de um triunfo por 4-1 frente ao Arouca na primeira jornada do campeonato.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+