Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Rui Costa avança se Luís Filipe Vieira não puder exercer funções de presidente do Benfica

08 jul, 2021 - 11:05 • José Barata com Redação

Bola Branca sabe que o vice-presidente encarnado tem o apoio da direção do clube e da SAD para suprir a ausência de Vieira, caso as medidas de coação o impeçam de cumprir funções.

A+ / A-

Será Rui Costa a exercer o cargo de presidente do clube e da SAD do Benfica caso Luís Filipe Vieira fique impedido de o fazer.

Bola Branca sabe que o atual vice-presidente encarnado tem o apoio dos restantes elementos da direção, incluindo José Eduardo Moniz, também "vice" de Vieira e que estava igualmente a ser apontado à função.

Luís Filipe Vieira foi detido, na quarta-feira, após buscas, por suspeitas de crimes de abuso de confiança, burla qualificada, falsificação, fraude fiscal e branqueamento de capitais. Esta quinta-feira, o presidente do Benfica deverá ser presente a primeiro interrogatório judicial e conhecer as medidas de coação aplicadas. Caso estas impeçam Vieira de exercer funções, Rui Costa suprirá a sua ausência como presidente do Benfica.

De acordo com o Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), estão em causa “negócios e financiamentos em montante total superior a 100 milhões de euros, que poderão ter acarretado elevados prejuízos para o Estado e para algumas das sociedades”.

O DCIAP informou que tinham sido detidas quatro pessoas (um dirigente desportivo, dois empresários e um agente do futebol), na sequência de cerca de 45 mandados de busca a sociedades, residências, escritórios de advogados e uma instituição bancária, em Lisboa, Torres Vedras e Braga.

Segundo o "SOL", os restantes detidos são o filho do presidente do Benfica, Tiago Vieira, e os empresários José António dos Santos, acionista da SAD encarnada e conhecido como "Rei dos Frangos", e Bruno Macedo.

Em causa estão “factos ocorridos, essencialmente, a partir de 2014 e até ao presente” e suscetíveis de configurarem “crimes de abuso de confiança, burla qualificada, falsificação, fraude fiscal e branqueamento”.

Em comunicado à CMVM, a SAD do Benfica confirmou a detenção e constituição como arguido de Luís Filipe Vieira, e demarcou-se da investigação, adiantando que as funções do presidente serão "asseguradas nos termos previstos na lei e nos estatutos" da sociedade.

Já a direção do clube garantiu que a competitividade e gestão estão "asseguradas, no respeito e em observância das normas regulamentares estabelecidas nos estatutos", e que estava "firmemente [determinada] a defender sem qualquer reserva, de forma coesa e como [lhe] compete, os interesses do clube, que, esclarece-se, não é objeto da investigação".

Na quarta-feira à noite, após a chegada de Luís Filipe Vieira à esquadra da PSP em Moscavide, Lisboa, o advogado garantiu que o presidente do Benfica não foi apanhado de surpresa pela detenção e que está tranquilo.

"Estava com serenidade. Nunca somos apanhados de surpresa quando estamos nestas funções. Poderão sempre passar-se coisas deste tipo e estamos preparados para acompanhar as pessoas quando têm estes incómodos. Suspeitas são suspeitas", sublinhou Magalhães e Silva.

A deteção de Luís Filipe Vieira causou grande burburinho dentro e fora do Benfica. O valor das ações da SAD caiu em cerca de 5,5%.

Em declarações a Bola Branca, João Braz Frade, porta-voz do movimento “Benfica Bem Maior” e antigo vice-presidente do Benfica, não tem dúvidas de que a situação “afeta gravemente a imagem” do clube.

João Noronha Lopes, candidato vencido nas últimas eleições, assumiu, em declarações à CMTV, estar "muito preocupado" com o Benfica.

O também antigo candidato Bruno Costa Carvalho foi mais longe, em entrevista à Renascença, e pediu eleições antecipadas, por considerar que Luís Filipe Vieira deixou de ter condições para liderar o Benfica.

As reações à detenção do presidente do Benfica estendem-se ao universo político. PS diz que é "tempo de a justiça atuar". O Chega pede rapidez, eficácia e transparência. O CDS-PP considera "saudável" que o trabalho dos deputados possa ser aproveitado pela justiça. PAN fala de "sinal positivo de que não há cidadãos intocáveis para a justiça".

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Juíz Vermelho
    09 jul, 2021 Catedral da Luz 09:17
    É de uma limpeza de alto a baixo que o Benfica precisa, não é da continuidade no Poder, do "aparelho Vieirista" através de acólitos, de homens de mão de Vieira a comandar o Clube. A direcção transitória - porque é isso que ela é - deve marcar data para Eleições, devolvendo assim a palavra aos sócios. Se o não fizer, se tentar assaltar o Poder, então um dos movimentos de Oposição deve recolher assinaturas a fim de ser marcada uma Assembleia Geral Extraordinária para decidir da data para a marcação de novo ato Eleitoral.
  • Americo Anastacio
    08 jul, 2021 Leiria 10:48
    A ser verdade as acusações do Ministério Público, esta rapaziada está em condições de exercer funções ? Estiveram a assistir à lapidação do Benfica e não "viram" nada ? Francamente. Ou são incompetentes para o cargo ou foram coniventes com LFV.

Destaques V+