Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Guerra na Ucrânia

Consumado corte do fornecimento de gás russo à Polónia e à Bulgária

27 abr, 2022 - 07:33 • Olímpia Mairos , com agências

A Rússia já tinha confirmado na terça-feira o corte do fornecimento à Polónia a partir desta quarta-feira. A suspensão estende-se à Bulgária.

A+ / A-

Veja também:


A empresa estatal russa Gazprom parou o fornecimento de gás à Polónia e à Bulgária esta quarta-feira. A Gazprom justifica a decisão com o facto de os dois países não cumprirem a exigência do pagamento do gás em rublos.

A empresa timha anunciado na terça-feira a suspensão do abastecimento à Polónia, estando agora também consumado o corte à Bulgária.

O ministro búlgaro da Energia, citado pela Reuters, dá conta de que a empresa russa propôs um novo esquema de pagamentos que não cumpre o atual contrato.

O Governo da Bulgária, cujo Presidente tem prevista uma deslocação a Kiev para uma reunião com o seu homólogo ucraniano, garantiu que não há motivo para a população ficar preocupada.

“Esse cenário foi discutido em fevereiro e estamos prontos para reagir, há acordos para entregas alternativas, está tudo assegurado", disse um porta-voz governamental à emissora NOVA, citado pela Efe.

No final de março, o Presidente russo, Vladimir Putin, tinha ameaçado que os clientes estrangeiros da Gazprom, “hostis à Federação Russa”, teriam que pagar o gás importado em rublos, mas a maioria dos países da União Europeia, incluindo a Polónia e a Alemanha, não aceitou essa exigência.

A Gazprom fornece metade do gás consumido na Polónia e 90% do consumido na Bulgária. Apesar disso, os governos dos dois países, que são membros da NATO e da União Europeia, declararam que o abastecimento não será comprometido.

“Não haverá escassez de gás nos lares polacos”, disse no Twitter a ministra do clima, Anna Moskwa.

“Desde o primeiro dia da guerra, declaramos que estamos preparados para a plena independência das matérias-primas russas”, acrescentou.

Para fazer frente à situação, o governo búlgaro declarou, por sua vez, que já encetou “ações para encontrar acordos alternativos para o fornecimento de gás natural”.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Digo
    27 abr, 2022 Eu 07:17
    O Putin não me ouviu, ou se ouviu não percebeu: ele tem é de cortar gás e petróleo a TODA A EUROPA E JÁ, a ver se os boches e não só, se deixam de reticências e começam realmente a fazer o que dizem que vão fazer, em termos de rearmamento e ajuda à Ucrânia, incluindo fontes energéticas alternativas.

Destaques V+