Tempo
|
A+ / A-

Ucrânia

General Pinto Ramalho: "Guerra ao cronómetro, só em Hollywood"

03 mar, 2022 - 17:35 • Pedro Mesquita com Redação

Na leitura do antigo chefe do Estado Maior do Exército a expectativa para as negociações que decorrem entre Ucrânia e Rússia não pode ser elevada.

A+ / A-

Veja também:


O antigo chefe do Estado Maior do Exército, o General Pinto Ramalho, sublinha, à Renascença, que a Ucrânia tem feito o que pode para se defender, mas não considera que a ofensiva russa esteja a falhar.

O presidente da Ucrânia quer negociar diretamente com Putin e diz que é a única forma de parar o conflito. É uma declaração a reter numa altura em que as delegações dos dois países estão reunidas na Bielorrússia.

Na leitura do antigo chefe do Estado Maior do Exército a expectativa não pode ser elevada.

Já seria um bom resultado se a Rússia e a Ucrânia chegassem a acordo para a concretização de um corredor humanitário, defende.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+