Tempo
|
A+ / A-

PSD a quatro pontos do PS e CDS em risco de ficar fora do hemiciclo, revela sondagem

20 jan, 2022 - 19:45 • Joana Gonçalves

Com este novo inquérito de opinião, a sondagem das sondagens da Renascença estima que, se as eleições fossem hoje, o PS venceria, sem maioria absoluta, com 38% dos votos. Chega segue à frente do Bloco de Esquerda. CDS-PP e Livre muito próximos.

A+ / A-

A distância entre PS e PSD diminuiu e são apenas quatro os pontos que, agora, os separam na intenção de voto dos portugueses.

De acordo com o inquérito de opinião da Universidade Católica, realizado entre 12 e 18 de Janeiro, o partido liderado por António Costa soma 37% das intenções de voto, numa queda de 2% face à semana passada.

Já o PSD recupera e está agora com 33%, num aumento de três pontos percentuais face à sondagem anterior, antes de concluídos os debates televisivos.

O Chega (6%) segue em terceiro lugar, seguido do Bloco de Esquerda (5%), que agora iguala a CDU(5%) e a Iniciativa Liberal (5%). PAN, CDS-PP e Livre fixam-se nos 2%.

A estimativa aponta, ainda, para cerca de 3% de votos brancos, nulos ou noutros partidos. Foram consideradas as intenções e inclinações de voto de 1.017 inquiridos que afirmaram ter a certeza de que vão votar.

PSD aumenta bancada e pode superar PS

O mais recente inquérito do Centro de Estudos e Sondagens de Opinião (CESOP) da UCP revela que, no cenário mais favorável para os sociais-democratas, o partido de Rui Rio pode conseguir eleger mais um deputado do que o Partido Socialista.

A estimativa da distribuição de número de deputados atribui um máximo de 100 assentos parlamentares ao PSD e um mínimo de 99 ao PS. No quadro inverso, o partido liderado por António Costa conseguiria assegurar 110 deputados contra 89 da bancada social-democrata, numa diferença de 20 deputados entre as duas forças políticas.

Recorde-se que, em 2019, o PSD assegurou 77 lugares no Parlamento, um valor inferior à atual estimativa, mesmo no pior cenário para o partido.

Chega e CDU podem atingir nove assentos parlamentares, BE oito, Iniciativa Liberal seis e CDS-PP, PAN e Livre dois. O partido de Francisco Rodrigues dos Santos é o único, de acordo com esta estimativa, que corre o risco de ficar de fora da Assembleia da República e não eleger deputados por nenhum círculo eleitoral.

Mais de metade dos inquiridos afirma que os debates confirmaram o seu sentido de voto original e cerca de 5% adianta que mudou o sentido de voto depois dos frente-a-frente entre os líderes partidários.

Reveja aqui o Debate das Rádios, o último confronto de ideias e programas entre os representantes dos partidos com assento parlamentar.

Sondagem das Sondagens

Com este novo inquérito de opinião, a Sondagem as Sondagens da Renascença estima que, se as eleições fossem hoje, o PS venceria, sem maioria absoluta, com 38% dos votos.

De acordo com este agregador, disponível numa página interativa da Renascença, com atualização diária, o Partido Socialista segue na frente, com oito pontos percentuais de avanço sobre o PSD, que soma 31% das intenções de voto estimadas.

O Chega (6,7%) segue em terceiro lugar e ultrapassa o Bloco de Esquerda (5,7%). Seguem-se CDU (5,2%), Iniciativa Liberal (4,8%), PAN (1,9%), CDS-PP (1,5%) e Livre (1,4%).

O que é e como funciona o agregador de sondagens da Renascença?
O que é e como funciona o agregador de sondagens da Renascença?
Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+