Tempo
|
A+ / A-

​Putin acusa Ucrânia de “atrasar” as negociações

18 mar, 2022 - 10:21 • Redação com agências

Moscovo nunca aceitará uma visão do mundo dominado pelos Estados Unidos que agem como um “polícia do mundo”.

A+ / A-

Veja também:


O Presidente russo acusou a Ucrânia de “atrasar” as negociações para acabar com o conflito e afirmou que as autoridades do país apresentam pedidos “que não são realistas”, durante uma conversa telefónica com o chanceler alemão, Olaf Scholz.

“O regime de Kiev tenta por todos os meios adiar o processo de negociações, apresentando propostas que não são realistas”, afirmou Vladimir Putin, segundo um comunicado que resume a conversa entre ambos.

“Apesar disso, o lado russo está preparado para continuar a procurar uma solução em linha com as suas abordagens baseadas em princípios que todos conhecem”, refere o mesmo texto.

A primeira ronda aconteceu a 28 de fevereiro.

EUA agem como um “polícia do mundo”

Já o Ministro dos Negócios Estrangeiros russo, em entrevista à Rússia Today, garante que a Rússia se vai ajustar às sanções impostas pelos países ocidentais.

Sergei Lavrov considera que “o Ocidente não é de confiar” e que Moscovo nunca aceitará uma visão do mundo dominado pelos Estados Unidos que agem como um “polícia do mundo”.

“Os Estados Unidos querem que o mundo pareça um saloon americano, onde os americanos dão as ordens”, disse.

Há muitos países, garantiu, que “não querem receber ordens do ‘Tio Sam'”.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que já causou pelo menos 780 mortos e 1.252 feridos, incluindo algumas dezenas de crianças, e provocou a fuga de cerca de 5,2 milhões de pessoas, entre as quais mais de 3,1 milhões para os países vizinhos, segundo os mais recentes dados da ONU.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • João Lopes
    18 mar, 2022 Porto 11:48
    Putim é um criminoso de guerra. Tem de ser preso, julgado... ou abatido!

Destaques V+