Tempo
|
A+ / A-

OMS diz que estão a aumentar os ataques a estruturas da saúde na Ucrânia

08 mar, 2022 - 12:35 • Carla Fino , Olímpia Mairos

O diretor regional para a Europa da OMS revelou esta terça-feira que o organismo já enviou equipas para a Hungria, Polónia, Roménia e Moldávia para prestar auxílio aos refugiados.

A+ / A-

Veja também:

Estão a aumentar os ataques a hospitais, ambulâncias e outras estruturas de saúde na Ucrânia. A denúncia é da Organização Mundial de Saúde para a região da Europa que já contabilizou pelo menos 16 ataques no país desde o início do conflito.

Esta manhã, em conferência de imprensa o diretor para a região europeia da OMS diz que foram já enviadas 76 toneladas de ajuda médica para a Ucrânia e países vizinhos, bem como equipas no terreno para apoio e assistência nas regiões mais afetadas.

Segundo Hans Kluger, são três as prioridades em que a Organização Mundial de Saúde está a trabalhar no momento.

“Em primeiro lugar, estamos a trabalhar para que sejam enviados equipamentos de saúde para a Ucrânia e garantir uma passagem segura para a entrega desta ajuda dentro do país e onde é preciso”, afirma.

De entre o material e equipamentos a enviar, destacam-se “medicamentos essenciais que salvam vidas, como oxigénio e insulina, equipamentos de proteção, equipamentos cirúrgicos, anestésicos, e produtos sanguíneos estão em falta”, detalha.

A segunda prioridade, segundo Hans Kluger “passa por garantir que os países vizinhos têm as infraestruturas e a assistência necessárias para todos os que chegam”.

Por fim, a OMS define como terceira prioridade “assegurar o apoio imediato em todos os equipamentos de cuidados de saúde dentro da Ucrânia”.

O diretor regional para a Europa da OMS revelou ainda que o organismo já enviou equipas para a Hungria, Polónia, Roménia e Moldávia onde estão a prestar auxílio aos refugiados.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+