Tempo
|
A+ / A-

Refugiados da Ucrânia de origem africana e asiáticos alvo de ataques de nacionalistas polacos

02 mar, 2022 - 22:01 • Redação

Incidentes ocorreram junto à estação de comboio de Przemyśl onde os refugiados chegam a partir de várias cidades após a invasão russa. Polícia alerta para campanhas de desinformação.

A+ / A-

Veja também:


A polícia da Polónia alerta para relatos falsos de crimes violentos cometidos por pessoas que fogem da Ucrânia que estão a circular nas redes sociais, depois de os nacionalistas polacos atacaram e abusaram de grupos de africanos, do sul da Ásia e do Oriente Médio que cruzaram a fronteira na noite passada.

Os agressores vestidos de preto procuraram grupos de refugiados, principalmente estudantes que tinham chegado à Polónia na estação de comboio de Przemyśl vindos de cidades da Ucrânia após a invasão russa.

Segundo a polícia, três índios foram espancados por um grupo de cinco homens, deixando um deles hospitalizado.

“Por volta das 19h00, esses homens começaram a gritar contra grupos de refugiados africanos e do Oriente Médio que estavam do lado de fora da estação de comboio”, escreve o jornal britânico Guardian, citando dois jornalistas polacos da agência de imprensa OKO, que relatou o incidente pela primeira vez.

“Eles gritaram: ‘Voltem para a estação de comboio! Voltem para o vosso país.'”

Uma estudante egípcia relatou que estava “com os amigos, a comprar algo para comer”. Sara, de 22 anos, que estudava na Ucrânia, explicou que um grupo de “homens vieram e começaram a assediar um grupo de pessoas da Nigéria”.
“Eles não deixaram um menino africano entrar numa loja para comer qualquer coisa. Depois vieram na nossa direção e gritaram: 'Voltem para o vosso país'."

Após o incidente, a polícia da Polónia alertou que grupos ligados à extrema-direita estão a divulgar informações falsas sobre supostos crimes cometidos por pessoas da África e do Médio Oriente que fogem da guerra na Ucrânia.

A polícia de Przemyśl escreveu no Twitter: “Há informações falsas de que crimes graves ocorreram em Przemyśl e na fronteira: roubos, agressões e violações. Não é verdade. A polícia não registou um aumento do número de crimes relacionados com a situação na fronteira”.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Martim
    05 mar, 2022 Lisboa 01:28
    Nao vale a pena repetir aqui fake news de Putin. A Polonia da provas de bondade. Ja acolheu 700.000 refugiados. E Portugal quantos?

Destaques V+