Tempo
|

​Os números que explicam a saída de Rui Vitória do Benfica

04 jan, 2019 - 08:57 • Inês Braga Sampaio , ​​Marília Freitas​

Três épocas e meia depois, Rui Vitória abandona o Benfica. Deixa seis títulos na vitrina, tendo contribuído para o inédito tetra, mas também números que fizeram história pela negativa.

A+ / A-

Rui Vitória chegou ao Benfica a 1 de julho de 2015. Um mês e meio depois, a 16 de agosto, assumiu pela primeira vez a liderança do campeonato, após uma vitória, por 4-0, frente ao Estoril. Desde então, e até à sua saída a 3 de janeiro de 2019, assumiu o comando técnico dos encarnados em 183 jogos.

Conquistou seis títulos: dois campeonatos (2015/16 e 2016/17), uma Taça de Portugal (2016/17), uma Taça da Liga (2015/16) e duas Supertaças de Portugal (2016 e 2017).

Em cinco finais disputadas, ganhou quatro: Taça da Liga (2016), Taça de Portugal (2017) e Supertaça Cândido de Oliveira (2016 e 2017).

Foi também na Supertaça que Rui Vitória perdeu a primeira final disputada ao serviço do Benfica. Era agosto de 2015 e estava há pouco mais de um mês no clube da Luz quando perdeu com o Sporting por 1-0, no Estádio do Algarve.

Do tetra ao despedimento

Na primeira época, Rui Vitória venceu 29 dos 34 jogos disputados no campeonato nacional, alcançando 88 pontos que deram o tricampeonato ao Benfica. Nas duas épocas seguintes, baixou para 25 vitórias. Foram suficientes para o tetra em 2016/17, mas não chegaram para superar o FC Porto na última temporada.

Esta época, ganhou dez das 15 partidas, mas já soma tantas derrotas (três) como na temporada passada.

O Benfica soma 32 pontos à passagem da 15.ª jornada, naquela que é a pior pontuação no campeonato dos últimos 10 anos. Pior só o Benfica de Quique Flores, que tinha 30 pontos, em 2008/09.

O ponto de rutura aconteceu após a derrota em Portimão, por 2-0. Foi a primeira derrota da história do Benfica com o Portimonense e a 30.ª em quatro épocas, sendo que 60% delas foram nas duas últimas temporadas.

Um desastre na Europa

À semelhança do desempenho a nível interno, as campanhas europeias do Benfica de Rui Vitória pioraram de época para época.

Na primeira temporada, chegou aos quartos-de-final da Liga dos Campeões, enquanto na segunda ficou pelos oitavos-de-final. Nas duas últimas, não passou da fase de grupos.

Em 2017/18, o Benfica fez mesmo a pior campanha de sempre de um cabeça-de-série na Liga dos Campeões, sem qualquer ponto – seis derrotas em seis jogos, 14 golos sofridos e apenas um marcado.

Esta época, o registo na Champions foi ligeiramente mais positivo. Sete pontos em seis jogos, com duas vitórias, um empate e três derrotas, seis golos marcados e 11 sofridos. Desta vez, a eliminação não foi absoluta. O Benfica seguiu para a Liga Europa, onde vai defrontar o Galatasaray, nos 16 avos-de-final.

E foi precisamente nas duas últimas épocas na Liga dos Campeões que o Benfica sofreu as derrotas mais pesadas sob o comando de Rui Vitória, ambas por cinco golos. A primeira goleada aconteceu em setembro de 2017, na Suíça, em casa do Basileia.

A segunda foi na Alemanha, em novembro do ano passado, frente ao Bayern de Munique. Desta vez, o Benfica conseguiu reduzir a vantagem com um golo de Gedson Fernandes, fixando o resultado em 5-1.

A derrota que ditou a saída de Rui Vitória do Benfica. Foto: Miguel A. Lopes/Lusa

Goleadas e derrotas para a história

O Benfica de Rui Vitória venceu quatro jogos por 6-0. Três para o campeonato, frente o Belenenses (2015), Marítimo (2106) e Vitória de Setúbal (2017), e um para a Taça de Portugal, contra o Marítimo, em novembro de 2016.

Além da derrota em Portimão que acabou por ditar a saída de Rui Vitória do comando técnico do Benfica, há outros dois resultados que entram para a história do clube pelas piores razões.

Em janeiro de 2017, os encarnados sofreram a primeira derrota de sempre com o Moreirense, por 3-1. Esta época, à jornada nove, o Benfica perdeu pela primeira vez com os cónegos para o campeonato e na Luz, com o mesmo resultado.

Em abril deste ano, sofreu a primeira derrota da história com o Tondela, por 3-2, à jornada 32 da edição 2016/17 do campeonato. Um resultado que praticamente sentenciou as hipóteses do Benfica chegar ao penta.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Vermelhão
    04 jan, 2019 Évora 11:46
    Um dos problemas já está resolvido. Faltam resolver dois! O Sr. Vieira ir também embora e vários jogadores que não têm qualidade para jogar no Benfica, seguirem o mesmo caminho. Só assim, acreditarei no meu Benfica.
  • Maria Saraiva
    04 jan, 2019 11:45
    Obrigada Rui Vitória, mas já não era sem tempo...!´Felicidades e muito sucesso para a nova etapa!Foi bom enquanto durou...
  • A Martins
    04 jan, 2019 Braga 10:37
    Tudo muito certo, mas onde anda o presidente do sindicato dos treinadores? Ou só se manifesta quando é o Sporting?

Destaques V+