A+ / A-

Benfica

Caso da criança em Famalicão. Schmidt pede que se repense regra sobre entrada de adereços

17 set, 2022 - 15:07 • Redação

Criança de 10 anos teve de despir camisola do Benfica para assistir a jogo. Treinador do Benfica aponta o dedo à regra que dita que adeptos visitantes não podem entrar com adereços do seu clube nas bancadas exclusivas aos adeptos da casa.

A+ / A-

O treinador do Benfica, Roger Schmidt, apela a que se repense a regra que impede que adeptos visitantes entrem com adereços alusivos ao seu clube em determinadas áreas dos estádios.

Muita tinta tem feito correr o caso da criança adepta do Benfica que foi impedida de vestir a camisola do clube em Famalicão. Instado a comentar, em conferência de imprensa, este sábado, Schmidt salienta que "é inaceitável que um ou uma jovem tenha de despir a camisola para entrar num estádio", no entanto, em vez de culpar qualquer um dos clubes envolvidos, aponta o dedo à regra que ditou esse desfecho.

"É desnecessário, mas também depende das regras. Há uma regra que diz que não podem usar camisolas dos seus clubes em certas áreas dos estádios. Temos de repensar a regra, porque algo assim acontecer não é bom para os adeptos, não é bom para o futebol e, especialmente, não é bom para as crianças", realça.

Jogadores solidários

O plantel principal do Benfica solidarizou-se com o jovem adepto. Os jogadores tiraram uma fotografia em que aparecem todos em tronco nu e publicaram-na nas redes sociais do Benfica, com a seguinte mensagem: "O que sentes ninguém te pode tirar. Esta é a nossa pele."

Schmidt gosta da fotografia, pois mostra "quão ligados os jogadores estão aos adeptos", com quem têm "uma boa relação".

"É uma demonstração de que gostam de vestir a camisola do Benfica", assinala o treinador encarnado.

O que aconteceu


Uma criança de 10 anos assistiu ao Famalicão-Benfica, da sexta jornada da I Liga, sem a camisola do clube da Luz vestida. O jovem e o pai tinham bilhete para a bancada exclusiva aos adeptos da equipa da casa. Pelas regras que vigoram no Estádio Municipal de Famalicão, adereços do clube visitante não podem entrar no recinto.

Este incidente levou a críticas do Benfica, do presidente da Liga e do secretário de Estado do Desporto. Já o Famalicão exige pedido de desculpas formal por ter sido criticado a propósito de um caso ao qual se considera "totalmente alheio", ao passo que o diretor de comunicação do Rio Ave critica o "pai irresponsável", que "meteu a criança nessas condições e fê-lo entrar assim no estádio à sua responsabilidade".

"Já lá dentro, desafiou a autoridade de ARD e Polícia, tentando vestir novamente a camisola ao filho. A polícia fez o seu trabalho e alertou o pai de que tinha de cumprir as regras do promotor do evento", assinala.

A Liga de Clubes decidiu realizar uma reunião com os diretores de segurança de todas as equipas do campeonato.

Roger Schmidt fazia a antevisão da receção do Benfica ao Marítimo, a contar para a sétima jornada do campeonato e marcada para domingo, às 18h00, no Estádio da Luz. Encontro que terá relato em direto na Renascença e acompanhamento ao minuto em rr.sapo.pt.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+