Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022

Portugal, história e estrelas. Guia completo do Europeu feminino de futebol

06 jul, 2022 - 06:37 • Inês Braga Sampaio

O Euro 2022 arranca esta quarta-feira. Portugal está inserido no grupo C, com Países Baixos, Suécia e Suíça. Confira as equipas, jogadoras a seguir com atenção e objetivos da seleção nacional para o segundo Europeu da sua história.

A+ / A-
Clique nas setas para ver todos os estádios do Euro 2022. Imagem: Rodrigo Machado/RR
Clique nas setas para ver todos os estádios do Euro 2022. Imagem: Rodrigo Machado/RR
AMEX Stadium (Brighton & Hove) - capacidade: 30.000 espectadores. Receberá um jogo dos quartos de final. Foto: Facundo Arrizabalaga/EPA
AMEX Stadium (Brighton & Hove) - capacidade: 30.000 espectadores. Receberá um jogo dos quartos de final. Foto: Facundo Arrizabalaga/EPA
Brentford Community Stadium (Brentford) - capacidade: 17.000 espectadores. Receberá um jogo dos quartos de final. Foto: Daniel Hambury/EPA
Brentford Community Stadium (Brentford) - capacidade: 17.000 espectadores. Receberá um jogo dos quartos de final. Foto: Daniel Hambury/EPA
Manchester City Academy Stadium (Manchester), onde joga a equipa feminina dos "citizens" - capacidade: 7.000 espectadores. Foto: Conor Molloy/imago images/News Images/Reuters
Manchester City Academy Stadium (Manchester), onde joga a equipa feminina dos "citizens" - capacidade: 7.000 espectadores. Foto: Conor Molloy/imago images/News Images/Reuters
Stadium MK (Milton Keynes) - capacidade: 30.000 espectadores. Receberá uma das meias-finais. Foto: Simon Whitehead/News Images/Sipa/Reuters
Stadium MK (Milton Keynes) - capacidade: 30.000 espectadores. Receberá uma das meias-finais. Foto: Simon Whitehead/News Images/Sipa/Reuters
New York Stadium (Rotherham) - capacidade: 12.000 espectadores. Receberá um jogo dos quartos de final. Foto: Ed Sykes/Reuters
New York Stadium (Rotherham) - capacidade: 12.000 espectadores. Receberá um jogo dos quartos de final. Foto: Ed Sykes/Reuters
Bramall Lane (Sheffield) - capacidade: 30.000 espectadores. Receberá uma das meias-finais. Foto: Tim Keeton / Pool/EPA
Bramall Lane (Sheffield) - capacidade: 30.000 espectadores. Receberá uma das meias-finais. Foto: Tim Keeton / Pool/EPA
St Mary
St Mary's Stadium (Southampton) - capacidade: 32.000 espectadores. Foto: Vincent Mignott/EPA
Old Trafford (Trafford, Manchester) - capacidade: 74.000 espectadores. Foto: Phil Duncan/DPPI/Reuters
Old Trafford (Trafford, Manchester) - capacidade: 74.000 espectadores. Foto: Phil Duncan/DPPI/Reuters
Portugal vai disputar os três jogos da fase de grupos na Leigh Sports Village (Wigan & Leigh, Manchester), onde joga a equipa feminina dos "red devils". Capacidade: 12.000 espectadores. Foto: Ed Sykes/Reuters
Portugal vai disputar os três jogos da fase de grupos na Leigh Sports Village (Wigan & Leigh, Manchester), onde joga a equipa feminina dos "red devils". Capacidade: 12.000 espectadores. Foto: Ed Sykes/Reuters
O mítico Wembley é o estádio da final do Euro 2022. Capacidade: 90.000 espectadores. Foto: Catherine Ivill/EPA
O mítico Wembley é o estádio da final do Euro 2022. Capacidade: 90.000 espectadores. Foto: Catherine Ivill/EPA

A fase final do Europeu feminino de futebol arranca esta quarta-feira, em Inglaterra, com 16 seleções, entre as quais Portugal.

A seleção nacional foi repescada devido à exclusão da Rússia de todas as provas da UEFA, devido à invasão à Ucrânia. Apesar da entrada tardia, Portugal deu bons sinais nos amigáveis com Grécia e Austrália e parte para Inglaterra com o objetivo de fazer melhor do que em 2017.

Na sua primeira participação de sempre na fase final de uma grande competição de seleções, Portugal terminou a fase de grupos no quarto e último lugar, atrás de Inglaterra, Espanha e Escócia.

Fazer melhor no Euro 2022 não será nada fácil: Portugal está inserido no grupo C, com o vigente campeão europeu, os Países Baixos, a vice-campeã olímpica Suécia e a Suíça, uma equipa não tão cotada mas de "ranking" FIFA superior à equipa das quinas (20 contra 30) e com jogadoras nos melhores campeonatos do mundo.

A Renascença conta-lhe tudo o que há para saber sobre cada seleção em prova, a começar pelo grupo de Portugal.


Veja também:


Grupo C

Portugal


Ranking FIFA:
30

Apuramento: Repescado

Melhor resultado: Fase de grupos (2017)

Resultado em 2017: Fase de grupos

Selecionador: Francisco Neto

Capitã: Dolores Silva (SC Braga)

Inês Pereira (Servette, Suíça), Tatiana Pinto (Levante, Espanha) e Suzane Pires (Ferroviária, Brasil) são as únicas jogadoras em clubes estrangeiros. Pires foi convocada para suprir a baixa de última hora de Andreia Jacinto (Sporting/Real Sociedad, Espanha), por lesão.

Suíça


Ranking FIFA:
20

Apuramento: Play-off

Melhor resultado: Fase de grupos (2017)

Resultado em 2017: Fase de grupos

Selecionador: Nils Nielsen (Dinamarca)

Capitã: Lia Walti (Arsenal)

Depois de chegar aos oitavos de final no Mundial 2015, sob o comando de uma Ramona Bachmann endiabrada, a seleção suíça não passou da fase de grupos (terceiro lugar) no Euro 2017.

Países Baixos


Ranking FIFA:
4

Apuramento: Direto (1.º lugar)

Selecionador: Mark Parsons (Inglaterra)

Melhor resultado: Campeão (2017)

Resultado em 2017: Campeão

Capitã: Sari van Veenendal (guarda-redes, PSV Eindhoven)

Lieke Martens, que este verão trocou o Barcelona pelo PSG, venceu a Bola de Ouro em 2017. O outro grande destaque da seleção neerlandesa vai para Vivianne Miedema, do Arsenal, máxima goleadora das seleções (feminina e masculina), com 94 golos em 111 internacionalizações. Os Países Baixos, que foram, ainda, finalistas vencidos no Mundial 2019, defendem o título europeu conquistado em 2017, em casa.

Suécia


Ranking FIFA:
2

Apuramento: Direto (1.º lugar)

Selecionador: Peter Gerhardsson

Melhor resultado: Campeão (1984)

Resultado em 2017: Quartos de final

Capitã: Caroline Seger (Rosengard)

A Suécia conquistou a medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Já foi a uma final do Mundial (2003), foi duas vezes consecutivas vice-campeã olímpica (2016 e 2020) e já foi a quatro finais europeias, das quais venceu uma.

Grupo A

Inglaterra


Ranking FIFA:
8

Apuramento: Anfitriões

Selecionador: Sarina Wiegman (Países Baixos)

Melhor resultado: Final (1984 e 2009)

Resultado em 2017: Meias-finais

Capitã: Leah Williamson (Arsenal)

As anfitriãs tentam chegar à terceira final e vencer pela primeira vez. Jogam nos maiores estádios, com o público do seu lado, e têm ao comando a selecionadora que, em 2017, levou os Países Baixos à vitória.

Áustria


Ranking FIFA:
21

Apuramento: Direto (melhor 2.º lugar)

Selecionador: Irene Fuhrmann

Melhor resultado: Meias-finais (2017)

Resultado em 2017: Meias-finais

Capitã: Viktoria Schnaderbeck (Tottenham)

A Áustria procura repetir ou melhorar o feito de 2017, quando chegou às meias-finais. Para tal, conta com um misto de experiência e juventude e jogadoras que são figuras de proa em algumas das melhores equipas do mundo, como Arsenal e Bayern de Munique.

Irlanda do Norte


Ranking FIFA:
47

Apuramento: Play-off

Selecionador: Kenny Shiels

Melhor resultado: --

Resultado em 2017: --

Capitã: Marissa Callaghan (Cliftonville)

A Irlanda do Norte estreia-se em fases finais do Europeu com um lote de convocadas que jogam, na sua maioria, no campeonato local, mais um punhado de atletas em campeonatos de topo.

Noruega


Ranking FIFA:
11

Apuramento: Direto (1.º lugar)

Selecionador: Martin Sjogren (Suécia)

Melhor resultado: Campeão (1987 e 1993)

Resultado em 2017: Fase de grupos

Capitã: Maren Mjelde (Chelsea)

Quem tem a goleadora Ada Hegerberg (Lyon, França) - de regresso ao fim de cinco anos de conflito por considerar que o futebol feminino e a seleção não eram devidamente valorizados no país - e a fantasista Caroline Graham Hansen (Barcelona, Espanha), mais um grupo de jovens jogadoras de grande talento, como Frida Maanum, Ingrid Engen, Julie Blakstad, entre outras, pode sonhar. No caso da Noruega, o sonho é o tri em Campeonatos da Europa.

Grupo B

Dinamarca


Ranking FIFA:
15

Apuramento: Direto (1.º lugar)

Selecionador: Lars Sondergaard

Melhor resultado: Final (2017)

Resultado em 2017: Final

Capitã: Pernille Harder (Chelsea)

Pernille Harder é uma das melhores jogadoras do mundo e, em 2017, quase levou a Dinamarca à conquista do Euro. As nórdicas voltam a tentar a glória, agora com uma equipa mais experiente e várias jovens de grande potencial, como a lateral-esquerda Sofie Svava, do Real Madrid, ou a média do Manchester United Signe Bruun.

Finlândia


Ranking FIFA:
29

Apuramento: Direto (1.º lugar)

Selecionador: Anna Signeul (Suécia)

Melhor resultado: Meias-finais (2005)

Resultado em 2017: --

Capitã: Tinja-Riikka Korpela (guarda-redes, Tottenham)

A Finlândia regressa à fase final de um Europeu, depois de ter falhado a qualificação na edição anterior, para tentar repetir as meias-finais de 2005. Jogadoras como Sanni Franssi (Real Sociedad, Espanha) e Natalia Kuikka (Portland Thorns, EUA) dão esperança.

Alemanha


Ranking FIFA:
5

Apuramento: Direto (1.º lugar)

Selecionador: Martina Voss-Tecklenburg

Melhor resultado: Campeão (1989, 1991, 1995, 1997, 2001, 2005, 2009 e 2013)

Resultado em 2017: Quartos de final

Capitã: Alexandra Popp (Wolfsburgo)

A seleção mais vezes campeã europeia - e duas vezes campeã do mundo - chega a Inglaterra para mostrar que 2017 foi um percalço e que pode voltar a estabelecer uma hegemonia (chegou a ser hexacampeã). A Alemanha ataca o Euro 2022 com um grupo jovem mas de enorme qualidade - é difícil destacar apenas quatro -, com base no Bayern de Munique, no Wolfsburgo e no Eintracht Frankfurt.

Espanha


Ranking FIFA:
7

Apuramento: Direto (1.º lugar)

Selecionador: Jorge Vilda

Melhor resultado: Meias-finais (1997)

Resultado em 2017: Quartos de final

Capitã: Irene Paredes (Barcelona)

A grave lesão de Alexia Putellas, atual Bola de Ouro e The Best (FIFA), a um dia do arranque do Europeu, fere as expectativas da Espanha, que nem assim deixa de ser candidata. Com a espinha dorsal do Barcelona, tricampeão espanhol e que foi às duas últimas finais da Liga dos Campeões (venceu uma), a Roja espera ser pela primeira vez campeã da Europa.

Grupo D

Bélgica


Ranking FIFA:
19

Apuramento: Direto (1.º lugar)

Selecionador: Ives Serneels

Melhor resultado: Fase de grupos (2017)

Resultado em 2017: Fase de grupos

Capitã: Tessa Wullaert (Fortuna Sittard)

A Bélgica participa no Europeu pela segunda vez na sua história. Em 2017, ficou no terceiro lugar do seu grupo, à frente da Noruega. Os golos de Tine de Caigny (Hoffenheim, Alemanha), Tessa Wullaert (Fortuna Sittard, Países Baixos) e Janice Cayman (Lyon, França) dão esperança. Davinia Vanmechelen (Blub Brugge), de apenas 22 anos, ultrapassou os problemas físicos e está pronta para se exibir nos maiores palcos.

França


Ranking FIFA:
3

Apuramento: Direto (1.º lugar)

Selecionador: Corinne Diacre

Melhor resultado: Quartos de final (2013 e 2017)

Resultado em 2017: Quartos de final

Capitã: Wendie Renard (Lyon)

O Lyon já venceu a Liga dos Campeões, mas os resultados do maior clube da história do futebol feminino estão longe de se refletir nos da seleção francesa. A equipa da controversa selecionadora Corinne Diacre, que deixou algumas jogadoras de renome, como Amandine Henry e Eugénie Le Sommer, de fora, tenta vencer o seu primeiro troféu internacional.

Islândia


Ranking FIFA:
17

Apuramento: Direto (melhor 2.º lugar)

Selecionador: Porsteinn Halldórsson

Melhor resultado: Quartos de final (2013)

Resultado em 2017: Fase de grupos

Capitã: Sara Bjork (Lyon)

Misto de trintonas em equipas de relevo, com especial destaque para a capitã, Sara Bjork (Lyon, França), e várias jovens a aparecer. A que mais entusiasma é a extrema Sveindís Jónsdóttir (Wolfsburgo, Alemanha), de 21 anos, que promete fazer a cabeça em água a muitas defesas.

Itália


Ranking FIFA:
14

Apuramento: Direto (melhor 2.º lugar)

Selecionador: Milena Bertolini

Melhor resultado: Final (1993 e 1997)

Resultado em 2017: Fase de grupos

Capitã: Sara Gama (Juventus)

O Euro 2017 foi uma desilusão para a Itália. Quatro anos depois, a Juventus começa a ter cada vez melhores resultados na Liga dos Campeões e é com inspiração maioritariamente "bianconera" que as italianas chegam a Inglaterra, procurando repetir ou melhorar as prestações dos anos 90.

O bolo total de prémios monetários é de 16 milhões de euros, um recorde no futebol feminino e o dobro da anterior edição. Cada seleção encaixará, pelo menos, 600 mil euros. Uma vitória vale 100 mil euros e um empate 50 mil. Chegar aos quartos de final rende 250 mil euros e o apuramento para as meias-finais garante 320 mil.

O campeão da Europa receberá um prémio de 660 mil euros. O finalista vencido não fica muito pior: 420 mil. Se uma seleção vencer os jogos todos (final incluída), receberá um total de dois milhões de euros.

Benfica, Sporting, Braga e Marítimo, que emprestam jogadoras à seleção nacional, receberão 10 mil euros à cabeça por cada uma. Além disso, a UEFA pagar-lhes-á 500 euros por dia de cada jogadora em prova, mais os dez dias anteriores à estreia e um dia de viagem após o adeus.

Portugal vai disputar os três jogos da fase de grupos na Leigh Sports Village, em Wigan & Leigh, nos arredores de Manchester, onde costuma jogar a equipa feminina do Manchester United.

A seleção nacional estreia-se frente à Suíça no sábado, às 17h00. Defronta os Países Baixos a 13 de julho, às 20h00. Termina a fase de grupos diante da Suécia, no dia 17, às 17h00.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+