Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Conselho de Disciplina da FPF arquiva processo disciplinar a jornalista

08 set, 2022 - 15:15 • Pedro Valente Lima

Tal como havia avançado na semana passada, a Federação Portuguesa de Futebol optou por não castigar Rita Latas. A repórter da Sport TV havia sido alvo de um inquérito disciplinar por ter colocado uma questão a Rúben Amorim que não estava relacionada com o jogo entre Sporting e Chaves.

A+ / A-

O Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) arquivou o processo disciplinar à repórter da Sport TV Rita Latas. Em causa estava uma eventual multa por uma pergunta feita a Ruben Amorim, treinador do Sporting, numa entrevista pós-jogo.

O arquivamento do inquérito disciplinar foi decidido em reunião do CD, esta quinta-feira. A decisão é coerente com o que a FPF havia avançado na semana passada, de que não ponderava castigar a jornalista.

O Conselho de Disciplina da FPF afirmava tratar-se de um procedimento formal, visto que "estava obrigado pelas normas do regulamento da Liga a instaurar um procedimento disciplinar" à repórter da Sport TV.

História de um caso que gerou indignação


A 30 de agosto, Rita Latas foi alvo de um inquérito disciplinar por ter feito uma pergunta que não estava relacionada com o jogo, na "flash interview" ao treinador do Sporting, depois da derrota por 2-0 frente ao Chaves, algo que iria contra os regulamentos da Liga. A pergunta era relacionada com o ex-jogador do Sporting, Islam Slimani.

À Renascença, o Sindicato dos Jornalistas falou de um "atropelo" à liberdade de imprensa, consagrada na Constituição portuguesa.

Já a Comissão de Carteira Profissional de jornalista descreveu um processo "ilegal": "Não só está em causa o seu direito à liberdade de expressão e de criação, de fazer livremente perguntas, a sua garantia de independência, como o da sua liberdade de acesso às fontes."

Em nota enviada às redações, esta quinta-feira, o ministro da Cultura, que é também responsável pela tutela da Comunicação Social, considerou que a decisão de abrir processo disciplinar à jornalista da Sport TV "limita a liberdade de imprensa" e pediu ao CD que reconsiderasse.

"Acompanho com muita preocupação uma decisão que limita a liberdade de imprensa e que põe em causa princípios basilares da nossa Constituição. (...) Apelo, por isso, a que o Conselho de Disciplina da FPF reconsidere a sua posição", lia-se na nota de Pedro Adão e Silva.

O processo disciplinar a Rita Latas teve por base uma indicação do delegado do Sporting, que pediu ao delegado da Liga que escrevesse no relatório a pergunta, por ser uma questão fora do contexto do jogo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+