Tempo
|
A+ / A-

Conselho de Disciplina da FPF "não pondera" castigar jornalista por pergunta a Rúben Amorim

01 set, 2022 - 16:35 • Inês Braga Sampaio com Lusa

Repórter da Sport TV é alvo de inquérito disciplinar por ter feito uma pergunta que não estava relacionada com o Sporting-Chaves, na entrevista pós-jogo ao treinador dos leões.

A+ / A-

O Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) garantiu, esta quinta-feira, que não está a ponderar sancionar a jornalista da Sport TV Rita Latas por uma pergunta ao treinador do Sporting, Rúben Amorim, numa "flash interview" pós-jogo do campeonato.

Rita Latas é alvo de inquérito disciplinar por ter feito uma pergunta que não estava relacionada com o jogo, na entrevista a Amorim, após o Sporting 0-2 Chaves, algo que vai contra os regulamentos da Liga.

"O CD estava obrigado pelas normas do regulamento da Liga a instaurar um procedimento disciplinar, uma vez que constava no relatório do delegado, mas não pondera sancionar a jornalista", disse fonte oficial do Conselho de Disciplina da FPF, contactada pela Renascença.

Segundo a mesma fonte do organismo, foi decidido atribuir ao processo "natureza urgente", que deverá servir também para "clarificar uma aparente desconformidade constitucional" da norma que está no regulamento de competições da Liga Portuguesa de Futebol Profissional.

Sindicato fala em "atropelo". Ministro pede recuo


Em declarações à Renascença, o presidente do Sindicato dos Jornalistas considerou um "atropelo" à liberdade de imprensa, consagrada na Constituição, o processo instaurado pelo CD da FPF à jornalista.

O processo foi instaurado a 30 de agosto, depois de Rita Latas ter feito, na zona de entrevistas rápidas, no final do encontro entre Sporting e Chaves, uma pergunta "fora contexto do jogo que acabara de terminar" a Amorim. A pergunta era relacionada com o ex-jogador do Sporting Islam Slimani.

Em nota enviada às redações, esta quinta-feira, o ministro da Cultura, que é também responsável pela tutela da Comunicação Social, considerou que a decisão de abrir processo disciplinar à jornalista da Sport TV "limita a liberdade de imprensa" e pediu ao CD que reconsiderasse.

"Acompanho com muita preocupação uma decisão que limita a liberdade de imprensa e que põe em causa princípios basilares da nossa Constituição. (...) Apelo, por isso, a que o Conselho de Disciplina da FPF reconsidere a sua posição", lia-se na nota de Pedro Adão e Silva.

O processo disciplinar a Rita Latas teve por base uma indicação do delegado do Sporting, que pediu ao delegado da Liga que escrevesse no relatório a pergunta, por ser uma questão fora do contexto do jogo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • ze
    01 set, 2022 aldeia 18:02
    Também era melhor! que é feito da liberdade de imprensa?

Destaques V+