Tempo
|
A+ / A-

Eleições Benfica

Bruno Costa Carvalho chumba recontagem dos votos. "Ninguém acredita que os votos são os originais"

01 jul, 2021 - 12:45 • João Fonseca

O empresário já em 2009 desconfiava do processo eleitoral, com recurso a voto eletrónico, e continua descrente quanto à veracidade do processo. Bruno Costa Carvalho pede humildade a Jorge Jesus e torce o nariz ao encontro de Vieira com Pinto da Costa.

A+ / A-

Bruno Costa Carvalho, candidato que desistiu das últimas eleições, chumba a iniciativa da direção do Benfica de contar os votos físicos das últimas eleições.

O empresário candidatou-se em 2009 contra Luís Filipe Vieira e já nessa altura o empresário nortenho desconfiava do voto eletrónico, dizendo mesmo que tinha "as maiores suspeitas" e que não dá crédito ao processo atual, ou seja, defendendo que além de ser acompanhado com o voto físico, a recontagem deve acontecer de imediato e não passados tantos meses.

Bruno Costa Carvalho atira que depois de "oito meses ninguém acredita que as urnas não foram violadas".

"Já saíram dali, onde é que eles andaram? Que fizeram às urnas? É um milagre que os resultados dos votos físicos sejam iguais aos eletrónicos, mas eu vou dizer que vão ser iguais", acrescenta.

O empresário rejeita a ideia de que este ruído prejudique a equipa de futebol, a maior preocupação de Bruno Carvalho é a saúde financeira do clube e o "encontro macabro" com Pinto da Costa e Pedro Proença.

Além disso, e sem grande confiança na nova época desportiva, pede "humildade a Jorge Jesus" depois de ter "vindo como uma estrela do futebol brasileiro".

"Eu acho que esta época vai ser novamente difícil para o Benfica", remata Bruno Costa Carvalho.

O presidente da Mesa da Assembleia Geral do Benfica, António Albino Pires de Andrade, anunciou, em comunicado, que quer que sejam contados os votos físicos das últimas eleições do Benfica.

João Noronha Lopes, principal rival de Luís Filipe Vieira e candidato vencido à presidência do Benfica nas eleições de outubro, mostra-se revoltado com a iniciativa e lembrou que, durante a campanha, pediu "várias vezes" que o voto físico fosse contado. Inclusive no próprio dia das eleições, "quando a contagem seria realizada duma forma transparente, à vista de todos e num momento em que fazia sentido". de um ato eleitoral que, considera, "envergonha os benfiquistas".

A direção do Benfica respondeu e acusou Noronha Lopes de "ânsia de tomar o poder no Sport Lisboa e Benfica, sem olhar a preço" e de tentar desestabilizar o clube. Rui Gomes da Silva, o outro candidato nas eleições, foi contactado pela Renascença, mas não quis prestar declarações.

Luís Filipe Vieira foi reeleito presidente do Benfica, com cerca de 62% dos votos, batendo as listas concorrentes de Noronha Lopes e Rui Gomes da Silva.

O dirigente de 71 anos venceu as eleições mais concorridas da história do clube, com mais de 38 mil sócios votantes. Anteriormente, as eleições com maior afluência tinham sido em 2012, quando Luís Filipe Vieira bateu Rui Rangel, com 22.676 sócios votantes.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+