Siga-nos no Whatsapp
A+ / A-

A entrevista de Jorge Jesus em 10 pontos. Cavani, a formação e contratações ao Flamengo

08 ago, 2020 - 19:53 • João Carlos Malta

No regresso ao Benfica, Jorge Jesus deu este sábado uma entrevista à BTV. Durante mais de uma hora percorreu os temas quentes do futebol encarnado.

A+ / A-

Cavani

O treinador do Benfica disse que não precisa de ligar a Edinson Cavani para que este venha para o Benfica. "É um jogador que deve ter várias possibilidades de mercado e deve estar a pensar sobre as opções. Quando chegámos eu não o pedi. Se me perguntarem, se quero? Quem não quer? Não só para o Benfica como para o futebol português. Nós em Portugal temos dificuldade em competir com outras equipas de outros países. Se pudéssemos competir com os outros, já tínhamos ganho uma Champions", disse Jorge Jesus.

O mesmo reconheceu que "financeiramente não é fácil". "Tem de haver uma engenharia financeira, onde o presidente é muito forte. Já estava a ser falado e conversado antes de eu chegar ao Benfica. O presidente está a fazer tudo para que isso aconteça", resume.

Jesus disse ainda que Luís Filipe Vieira está a fazer tudo para trazer o jogador para a Luz.

O jornal "Record" cita o jornalista italiano Tancredi Palmeri, especialista em assuntos relativos ao mercado, que assegurou este sábado que Edinson Cavani já assinou pelo Benfica. De acordo com o conceituado jornalista da CNN, o ponta de lança uruguaio de 33 anos rubricou um vínculo no qual irá auferir nove milhões de euros anuais.

Cebolinha

Jorge Jesus reconheceu que tal como Renato Gaúcho tinha dito, ligou mesmo para Éverton Cebolinha. "É verdade que liguei para ele, pelo facto de ser um dos alvos que para mim é importante. É um jogador que, não só pela qualidade, é titular na seleção do Brasil", resumiu Jesus.

"Procurei convencê-lo a vir para o Benfica, pelo clube que é e pelo projeto que tem. Para atacar a Champions e outras competições que estão no nosso calendário. Tentei movê-lo a vir trabalhar comigo. Nunca disse para ele não jogar. Ele quando chegar a Portugal pode dizer se o convenci a não jogar", acrescentou.

Contratar jogadores ao Flamengo

"Custou-me imenso sair de lá. Não quero mexer mais com isso. Não pedi nenhum jogador do Flamengo ao presidente do Benfica", disse o treinador do Benfica, que pôs a equipa brasileira que antes treinava entre as três melhores do mundo.

"O Flamengo tem grandes jogadores. Sou grato às pessoas que me amam, os jogadores estão no meu coração. Custou-me imenso sair de lá", repetiu Jesus.

Formação

Jesus saiu de Portugal e do Benfica com o rótulo de treinador que não aposta na formação e nos jogadores jovens. Desde aí em cada entrevista o tema vem ciclicamente à baila. Nesta entrevista à BTV, Jesus disse que: "Todos os clubes têm de cada vez mais evoluir e preocupar-se com a formação porque é uma das formas de criar ativos, no presente e no futuro, mas isso não dá sustento desportivo aos objetivos que tens numa equipa. Não existe nenhuma equipa do mundo que viva da sua formação", defendeu.

"Vamos olhar para Benfica. Da última equipa titular do Benfica, quantos jogam da formação? Um: Rúben Dias. Agora, o Benfica não deixa de ter miúdos com muito valor que temos de saber trabalha-los e dar lhes carinho, porque podem não ser a solução imediata, mas são o futuro. Isso é que é preciso rentabilizar. O que os adeptos do Benfica querem é ganhar. Ganhar com meninos, com não meninos, rematou.

Reforços

Em relação aos reforços já garantidos pelas águias, Jesus não deixou de comentar caso a caso. As considerações é que foram diferentes. Sobre o guarda-redes que chega do Boavista, Helton Leite disse não conhecer.

"Não conheço muito bem o Helton Leite. O Odysseas conheço porque vi mais jogos do Benfica. Os jogos do Benfica dão no Brasil, os do Boavista não. Queremos ter mais do que um bom guarda-redes".

Já o lateral-direito Gilberto, foi uma escolha de Jorge Jesus que o analisou em pormenor. "Foi um jogador que já tentei antes de ir para o Benfica contratar para o Flamengo. Não consegui, não chegaram a acordo, mas agora houve a possibilidade de o trazer para o Benfica. É um jogador tecnicamente evoluído, mas não é um jogador que possa à primeira ideia ser um jogador com uma qualidade técnica muito superior. Mas é muito competitivo, joga 90 minutos sempre muito forte. O melhor dele é ofensivamente, faz golos. Tem alguns defeitos, mas por isso é que aqui estou. Ele e o André Almeida vão disputar a titularidade, mas há espaço para todos e todos vão ser titulares", explicou.

Sobre o extremo Pedrinho, contratado antes da chegada do treinador á Luz,repetiu o que já dissera há alguns meses. "Se eu estivesse a contratar um jogador para o imediato, havia jogadores com mais experiência como o Cebolinha ou o Dudu. São jogadores dentro dessas características. O Pedrinho é um jogador jovem com talento, para ser trabalhado, ao contrário do Cebolinha que está feito. Tem potencial".

Sobre alguns jogadores que estavam no plantel foi taxativo. Alguns "terão de procurar um novo projeto" para as suas carreiras.

A relação com Vieira

É o único presidente com quem trabalhou seis anos e o único que entra na sua casa. Foi assim, que Jorge Jesus descreveu a relação especial que mantém com Luís Filipe Vieira. O treinador diz que a sua saída do Benfica se deveu ao fechar de um ciclo e o regresso à abertura de outro ciclo.

Recordando o Flamengo diz que nunca teve um estádio com 70 mil pessoas, durante 90 minutos, a gritar o seu nome. "Não havia outra pessoa que me pudesse tirar de lá a não ser Luís Filipe Vieira. Foi ao Brasil e trouxe-me de volta. Nunca tive nenhuma afirmação que pudesse pôr em dúvida o meu trabalho durante o Benfica. Fui simplesmente para outro rival. Sempre tive uma aproximação muito grande com o presidente", disse.

E depois concretizou que "nunca houve um presidente que tivesse entrado na minha casa, só o presidente do Benfica o fez", afiançou.

Adversários

A luta pelo campeonato será a 3+1, segundo Jesus. Para o treinador do Benfica, o Sporting de Braga "está cada vez a dar mais passos para estar perto dos três grandes".

"Mas não posso considerar que esteja já igual aos três grandes por um motivo. Não tem a matéria humana que tem o Benfica, o Porto e o Sporting e isso faz a diferença", explicou, ao mesmo tempo que defende que os minhotos se vão "tentar juntar-se mais aos três grandes".

Calendário

O calendário para a próxima temporada foi criticado por Jorge Jesus, sobretudo o arranque da época. "Não pensaram nos interesses do futebol português, por causa da pandemia. Os jogadores já não iam ter quatro semanas de férias. Mas eles tiveram três meses sem treinar, precisam de férias para quê? Pelo menos havia de haver a primeira jornada antes dos jogos europeus", criticou.


'Mind games'

Jorge Jesus abordou ainda a relação com Sérgio Conceição e Rúben Amorim. Ele que é famoso pelas turculentas trocas de palavras que já protagonizou com técnicos adversários, Jesus promete que não vai fazer ‘mind games’ nas conferências de imprensa.

"Rúben Amorim disse que estava preparado para a guerra? Eu sei o que o Ruben quis dizer, que está preparado para a guerra verbal. Porque em Portugal há uma guerra muito intensa em relação aos interesses do futebol. No Brasil, também há uma guerra verbal, mas é uma guerra que favorece o futebol. Nós aqui, muitas vezes, tiramos valor ao produto futebol. Foi o que o Rúben quis dizer. O importante é conseguirmos defender os interesses das nossas equipas. Eu vou, o Rúben vai e o Sérgio também vai. Mas os ‘mind games’ que, quando eu saí, se colocavam muitas vezes entre treinadores, não o vou fazer. Isso não ajuda a ganhar jogos e não valoriza o futebol", acredita.

Fim da carreira

Jesus assegurou que dificilmente vai terminar a carreira nas águias.

"Dificilmente vou acabar a minha carreira no Benfica. Não sei o dia de amanhã. Posso acabar a carreira no Benfica, mas não sei. O presidente ofereceu-me quatro anos e foram dois. Eu só queria um. [Base da decisão] Queria voltar ao Benfica, queria voltar a Portugal", finalizou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • 09 ago, 2020 13:27
    Façam o favor de dizer ao Senhor Jorge Jesus que em Portugal há um Clube de Futebol BI/CAMPEÃO EUROPEU E CAMPEÃO DO MUNDO DE CLUBES. Basta estes TÍTULOS ou quer que mencione MAIS? A DESCONSIDERAÇÃO é ARROGANTE em demasia.

Destaques V+