Das "insinuações vagas" à acusação. O que esperar da Operação Marquês?

08 abr, 2021 - 12:18 • Marina Pimentel , Joana Bourgard

Ao contrário de Carlos Alexandre, conhecido por fazer "copy paste" da acusação, Ivo Rosa elaborou um documento com seis mil páginas, mais duas mil do que acusação. Se Sócrates não for a julgamento, pronunciado por corrupção, ficará por explicar como mantinha o nível de vida em Paris. Mas a convicção do julgador não se forma como a da opinião pública e o "in dubio pro reo" é o seu maior princípio.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ivo Pestana
    08 abr, 2021 Funchal 12:38
    Portugal poderia ser um exemplo no combate à corrupção, mas alguma coisa tem de ser feita para isso acontecer. Assim como estão as coisas, não dá.