Tempo
|
A+ / A-

Nobel da Economia para Paul Milgrom e Robert Wilson

12 out, 2020 - 10:52 • Marta Grosso

A academia quis distinguir o melhoramento "da teoria do leilão" e a invenção de "novos formatos, beneficiando vendedores, compradores e contribuintes em todo o mundo".

A+ / A-

Veja também:


O Prémio Nobel da Economia foi atribuído este ano a Paul R. Milgrom e Robert B. Wilson pelos "melhoramentos feitos na teoria do leilão" e por terem "inventado novos formatos de leilão, beneficiando vendedores, compradores e contribuintes em todo o mundo", anunciou a Real Academia das Ciências sueca.

"Os novos formatos de leilão são um belo exemplo de como a investigação básica pode gerar invenções que beneficiam a sociedade", anunciou a academia.

"Os leilões estão por toda parte e afetam nossa vida quotidiana. Os premiados deste ano em Ciências Económicas, Paul Milgrom e Robert Wilson, aprimoraram a teoria dos leilões e inventaram novos formatos de leilão, beneficiando vendedores, compradores e contribuintes em todo o mundo", refere ainda a academia na conta oficial no Twitter.


Estes novos formatos de leilão foram usados em rádio, nas quotas de pesca, em pistas de aterragem de aeronaves e permissões de emissão.

No seu trabalho, Robert Wilson demonstrou por que licitantes racionais tendem a fazer lances abaixo da sua melhor estimativa: estão preocupados com a maldição do vencedor, isto é, pagar muito e perder.


Já Paul Milgrom, formulou uma teoria mais geral sobre leilões que admite não só valores comuns como privados, que variam de licitante para licitante.


Em 2019, o prémio foi atribuído a três economistas – Abhijit Banerjee, Esther Duflo e Michael Kremer – pela sua dedicação ao estudo do combate à pobreza.

Esther Duflo e Abhijit Banerjee são casados e tornaram-se no quinto casal a ser galardoado com um Nobel.

Mas, a primeira mulher a ser distinguida com o prémio para a Economia foi Elinor Ostrom, pelo seu trabalho no âmbito da cooperação humana, demonstrando como os recursos naturais podem ser partilhados de maneira sustentável numa comunidade sem privatizações.

O Nobel da Economia não fazia parte do pacote inicial de prémios. Foi criado em 1968 pelo Sveriges Riksbank (o Banco Central da Suécia), e atribuído pela primeira vez em 1969. O seu nome oficial é Prémio do Banco da Suécia para as Ciências Económicas, em Memória de Alfred Nobel.

Nomes sonantes galardoados com este prémio são Paul Krugman, John Nash e Milton Friedman.

Os galardoados com este Nobel são os quintos a ser conhecidos, depois dos atribuídos nas áreas da Literatura, da Química, da Física e da Medicina, anunciados na semana passada.


O Prémio Nobel da Economia tem o valor de nove milhões de coroas suecas, cerca de 860 mil euros.

Por causa da pandemia de Covid-19, muitos dos eventos tradicionais (como o grande banquete) forma cancelados ou transferidos para a Internet.

Os prémios Nobel por realizações em ciência, literatura e paz foram criados e financiados pela vontade do inventor da dinamite e empresário sueco Alfred Nobel e são concedidos desde 1901.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.