Tempo
|
A+ / A-

25 de novembro

PGR esteve nas celebrações do 25 de novembro organizadas por Moedas

25 nov, 2023 - 17:43 • Tomás Anjinho Chagas

Maria Lucília Gago foi convidada pela Câmara Municipal de Lisboa e sentou-se na primeira fila. PGR tem estado no olho do furacão provocado pela Operação Influencer, que culminou com a demissão de Costa.

A+ / A-

A procuradora-geral da República, Maria Lucília Gago, marcou presença nas comemorações do 48º aniversário do 25 de novembro organizado pela Câmara Municipal de Lisboa.

Ao evento - que provocou discórdia desde que foi anunciado durante o discurso de Carlos Moedas no 5 de outubro - juntou-se uma das figuras mais citada nas últimas semanas por causa da Operação Influencer, que culminou com a demissão do primeiro-ministro, António Costa.

À Renascença, a Câmara Municipal de Lisboa explica que Lucília Gago foi convidada através do protocolo da autarquia. A própria realização das comemorações foi colocada em causa pela oposição à Coligação Novos Tempos.

Na primeira fila do salão nobre da CML, a procuradora-geral sentou-se ao lado de Henrique Gouveia e Melo, atual chefe do Estado-Maior da Armada que se tornou familiar aos portugueses por liderar a taskforce da vacinação contra a Covid-19. Os restantes chefes dos ramos das Forças Armadas também estiveram nos paços do concelho.

Nesta sessão comemorativa, Moedas citou Mário Soares para criticar a ausência da maior parte dos socialistas com responsabilidades na câmara. Do PS, apenas o deputado municipal Manuel Lage foi ao evento, o que motivou o presidente da Câmara de Lisboa a agradecer "do coração" a sua presença. Rosário Farmhouse, presidente da Assembleia Municipal de Lisboa, também não faltou. Mas todos os vereadores socialistas estiveram ausentes.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Joaquim Correto
    27 nov, 2023 Paços 09:51
    Ainda há dúvidas de que o que aconteceu foi um golpe de estado?

Destaques V+