Tempo
|
Autárquicas 2021
35,43%
143Câmaras
13,71%
70Câmaras
11,27%
29Câmaras
7,96%
18Câmaras
5,62%
18Câmaras
4,12%
0Câmaras
2,62%
0Câmaras
1,53%
5Câmaras
1,18%
0Câmaras
12,39%
11Câmaras
  • Freguesias apuradas: 3057 de 3092
  • Abstenção: 46,10%
  • Votos Nulos: 1,60%
  • Votos em Branco: 2,52%

A+ / A-

Costa anuncia inquérito à atuação da PSP na festa do Sporting

12 mai, 2021 - 15:40 • Redação

"Não vou atirar pedras a ninguém. Vou aguardar o apuramento e esclarecimento dos factos para retirar as responsabilidades devidas sobre essa matéria”, disse o primeiro-ministro no Parlamento

A+ / A-

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou esta quarta-feira a abertura de inquérito à atuação da PSP na festa do Sporting, que ficou manchada por confrontos com adeptos e feridos.

“Relativamente aos eventos de ontem, o ministro da Administração Interna já fez despacho solicitando à PSP informações sobre o planeamento com as entidades envolvidas: Sporting, Câmara e Direção-Geral da Saúde, e solicitando à Inspeção-Geral da Administração Interna um inquérito à atuação da PSP naquele contexto de ontem”, disse António Costa no debate sobre política geral no parlamento.

Questionado pelo deputado Telmo Correia, do CDS, sobre se haverá consequências do "pouco planeamento" dos festejos do Sporting, António Costa respondeu que, primeiro, quer apurar o que aconteceu e depois serão retiradas responsabilidades.

“Eu não vou atirar pedras a ninguém, nem ao Sporting, a quem só tenho de felicitar por ter vencido o campeonato, não vou atirar pedras a ninguém aos apoiantes do clube, à Polícia vou fazer aquilo que qualquer político responsável nestas circunstâncias deve fazer, que é aguardar a informação, o apuramento e esclarecimento dos factos para retirar as responsabilidades devidas sobre essa matéria.”


Sporting volta a ser campeão, 19 anos depois. Desacatos e feridos mancham festejos
Sporting volta a ser campeão, 19 anos depois. Desacatos e feridos mancham festejos

O primeiro-ministro lembrou que os adeptos do Sporting não celebravam um campeonato há 19 anos e que, ainda há pouco tempo, o mundo assistiu a episódios de tensão no Reino Unido devido à "paixão futebolística".

"Todos nós temos bem a noção do que é a paixão futebolística, o que seja a paixão futebolística exacerbada de 19 anos de espera e, naturalmente, convém termos bem a noção que mesmo em países que nós nos habituamos todos a respeitar, como recentemente no Reino Unido, vimos situações muito tensas”, declarou António Costa.

A Polícia de Segurança Pública (PSP) já reagiu aos incidentes. Diz que decidiu manter, na noite de terça-feira, a festa do título nacional do Sporting porque considerou que a sua anulação iria causar impactos negativos na ordem e tranquilidade públicas.

Em comunicado enviado às redações, a direção nacional da PSP indica que, a nível nacional, foram detidas três pessoas, identificadas 30 e apreendidos 63 artefactos pirotécnicos, reconhecendo também que se registaram "alterações relevantes da ordem pública" em Lisboa.

O Presidente da República também já se pronunciou sobre os incidentes. Marcelo Rebelo de Sousa não gostou dos ajuntamentos nas celebrações do título de campeão nacional do Sporting na cidade de Lisboa e diz que o momento foi um mau exemplo para o resto do país.

Em declarações na manhã seguinte à festa leonina, que reuniu milhares de pessoas na cidade de Lisboa, sem a devida distância e sem o cumprimento de outras normas de segurança em tempo de pandemia, Marcelo Rebelo de Sousa espera que os números de infeções não aumentem por causa dos ajuntamentos.


Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • carlos pizarro
    13 mai, 2021 senhora da hora 11:38
    Feitas as contas as culpas vão cair na PSP, entidade com muita experiência em ser bode expiatório. Os srs. Costa, Cabrita, Medina, etc vão, mais uma vez, passar de "fininho" entre os pingos da chuva. Será que os Portugueses já não estarão fartos destes políticos de meia-tigela?
  • Maria Oliveira
    12 mai, 2021 Lisboa 17:17
    Ele diz "um primeiro-ministro responsável". Eu digo: um irresponsável! Ele, o ministro da administração interna, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, todos irresponsáveis. Deviam ter previsto (o jogo estava anunciado e a vitória era possível, e até provável), planeado e executado. Nada, não fizeram nada! E agora querem passar por responsáveis ...
  • António dos Santos
    12 mai, 2021 Coimbra 14:59
    Os inquéritos evitam-se!!!! Esta atitude do sr. primeiro ministro é ridícula!!! O sr. primeiro ministro, demonstra incapacidade de analisar o problema na sua origem!!! Se não vejamos: O erro começa logo, de quem autorizou o cortejo, porque para haver cortejo, pressupõe haver gente. De seguida a DGS não fez o que lhe era exigido, como vem sendo habitual. O ministro da administração interna, vem como é habitual, a ser incompetente para o cargo que desempenha. E, finalmente, a PSP que não previu o que era previsível e com a agravante de permitir o cortejo. Esta atitude foi uma estupidez total. Concluindo, o responsável final é o primeiro ministro, por duas razões: 1º manter um ministro incompetente; 2º Dar lugares importantes a pessoas do partido, não por competência, mas por compadrio. Este situação está a prejudicar a qualidade dos serviços públicos, em geral e os cidadãos, que estão a sustentar esta escumalha.

Destaques V+