Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Acionistas da Global Media acusam novo dono de incumprimento

29 dez, 2023 - 13:11 • Sandra Afonso , João Pedro Quesado

Marco Galinha, Kevin Ho, José Pedro Soeiro e Mendes Ferreira afirmam que novo dono realizou "um extenso e transparente processo" de diligência.

A+ / A-

Os acionistas do grupo Global Media rejeitam responsabilidades e acusam novo dono de incumprimento. Em comunicado, Marco Galinha, Kevin Ho, José Pedro Soeiro e Mendes Ferreira manifestam “grande preocupação” pelos salários em atraso e pela situação financeira do grupo.

O grupo de acionistas defende que o novo investidor, o World Opportunity Fund, Ltd, está em “manifesto incumprimento” relativamente a “obrigações revelantes dos contratos, que teriam permitido o pagamento dos salários e o cumprimento de outras responsabilidades da empresa”.

Marco Galinha, Kevin Ho, José Pedro Soeiro e Mendes Ferreira afirmam que a venda das participações "decorreu com respeito de todas as regras de compliance e de boa governança normalmente exigidas nesta tipologia de negócios". Acrescentam ainda que foi realizado "um extenso e transparente processo de due diligence económico financeiro por parte do novo investidor".

Depois de incitados pelos trabalhadores do "Jornal de Notícias" a pronunciarem-se publicamente sobre a situação, os quatro acionistas apontam que não têm, neste momento, "qualquer responsabilidade nas decisões executivas" tomadas pela nova administração. No entanto, prometem tudo fazer para restabelecer a credibilidade da Global Media.

"Os acionistas não deixarão de recorrer a todos os meios ao seu dispor para exercer os direitos legais e contratuais que lhes assistem e, bem assim, de tudo fazer quanto estiver ao seu alcance para restaurar a credibilidade do GMG e das suas marcas, honrando a história do Grupo e de todos aqueles que diariamente dão o seu melhor por um jornalismo de excelência", declaram.

O Global Media Group é detentor dos órgãos de comunicação social "Diário de Notícias", "Jornal de Notícias", "Dinheiro Vivo", "TSF" e "O Jogo", entre outros. Depois de prometer investir nos títulos do grupo, a nova administração anunciou um processo de rescisões de 150 a 200 trabalhadores.

Os trabalhadores da "TSF" estiveram em greve a 20 de setembro, protestando a mudança da direção da rádio - forçada pela administração contra a vontade do Conselho do Redação. No início de dezembro, foram os trabalhadores do "Jornal de Notícias" que estiveram em greve por dois dias, também a protestar contra atrasos nos salários.

Depois, em dias consecutivos, as direções da "TSF" e do"Jornal de Notícias", "O Jogo" e "Dinheiro Vivo" demitiram-se em bloco. Para fazer face ao não pagamento dos salários, vários jornalistas angariaram mais de dez mil euros, enquanto o Governo apontou para o uso do Fundo de Garantia Social.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+