Tempo
|
A+ / A-

Travão ao aumento das rendas

Inquilinos vão ser "pressionados" por aumento das rendas

26 out, 2023 - 17:06 • Tomás Anjinho Chagas

Associação dos Inquilinos Lisbonenses sublinha diferença entre o aumento das rendas e o aumento dos apoios.

A+ / A-

A Associação dos Inquilinos Lisbonenses denuncia que vai haver muita gente a sofrer com a pressão do aumento das rendas. À Renascença, António Machado lembra era defendido um limite de 0% e critica a opção do Governo.

"Muitas famílias vão ser pressionadas a pagar rendas maiores, mesmo com os apoios, não deixa de haver uma diferença relativamente à renda", diz o presidente da Associação, para quem "uma coisa é pagar mais 7%, outra coisa é receber mais 4%".

"Portanto, há aqui uma diferença de 3 a favor do senhorio contra o inquilino", concluiu António Machado.

António Machado elogiou a medida de aumento da dedução das rendas no IRS, mas lembrou que há muita gente com contratos informais que fica de fora.

O Governo anunciou esta quinta-feira que não vai repetir o travão ao aumento das rendas que aplicou para 2023. Em vez disso, o executivo de António Costa vai reforçar o arrendamento apoiado para famílias até ao 6º escalão do IRS para quem tem uma taxa de esforço superior a 35%.

Proprietários dizem que Governo está a cumprir a lei

Por sua vez, os proprietários não consideram "uma boa notícia o cumprimento da lei, porque a lei deve ser sempre cumprida".

"Houve uma péssima intervenção de introduzir o travão sem qualquer indicação que só fez disparar as rendas", refere Luís Menezes Leitão.

O representante da Associação de Proprietários diz que o Governo "reconheceu o erro em que caiu e este ano não o repetiu".

"Esperamos que sirva de lição para o futuro", aponta, ainda.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+