Tempo
|
A+ / A-

Incêndios. Doze acidentes e cinco mortes com aeronaves desde 2009

10 ago, 2022 - 17:12 • Redação, com Lusa

O mais recente aconteceu na terça-feira, no incêndio da Covilhã, e envolveu um helicóptero com seis elementos, que saíram ilesos.

A+ / A-

Doze acidentes com aeronaves de combate a incêndios foram registados em Portugal, desde 2009, causando a morte a cinco pessoas.

O mais recente aconteceu na terça-feira, num incêndio na Covilhã, e envolveu um helicóptero com seis elementos, que saíram ilesos.

Cronologia dos principais acidentes aeronaves de combate a incêndios desde 1 de janeiro de 2009:

9 de agosto 2022

Covilhã, distrito de Castelo Branco: Um helicóptero de combate a incêndios sofreu um acidente durante a aterragem no ataque ao fogo em plena na Serra da Estrela.

Ninguém ficou ferido. "As seis pessoas (1 Piloto Comandante e 5 militares da UEPS) que compõem a guarnição do meio aéreo encontram-se todas bem fisicamente", avança a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), em comunicado.

15 de julho 2022

Foz Côa, distrito da Guarda: Um avião anfíbio "FireBoss", de combate a incêndios, despenhou-se em Castelo Melhor, concelho de Foz Côa. O piloto morreu na queda do avião.

8 de agosto 2020

Lindoso, Ponte da Barca, distrito de Viana do Castelo: Um avião anfíbio pesado (Canadair CL215) que fazia parte do dispositivo de combate a incêndios rurais despenhou-se quando combatia um incêndio na Serra do Gerês, provocando um morto e um ferido grave. Em 21 de setembro, morreu o copiloto do avião envolvido neste acidente.

5 setembro 2019

Sobrado, Valongo, distrito do Porto: Um helicóptero AS350-B2 colidiu com linhas elétricas e despenhou-se quando combatia um incêndio, causando a morte ao piloto Noel Ferreira, de 36 anos, também piloto da Força Aérea e comandante dos Bombeiros Voluntários de Cete, em Paredes, distrito do Porto.

4 setembro 2019

Pampilhosa da Serra, distrito de Coimbra: Um helicóptero ficou parcialmente destruído depois de cair durante a descolagem na Pampilhosa da Serra para combater um incêndio no distrito de Castelo Branco. O acidente deveu-se a um erro do piloto, que pensava estar a operar um modelo diferente daquele que realmente pilotava, concluiu o Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAAF).

3 julho 2019

Barragem de Castelo de Bode: Um avião ligeiro de combate a incêndios ficou destruído quando abastecia água na barragem de Castelo de Bode. O acidente deveu-se ao facto de o piloto não ter recolhido o trem de aterragem, concluiu o GPIAAF.

20 agosto 2017

Cabril, Castro Daire: Um helicóptero da empresa Everjets caiu, tendo provocado a morte ao piloto, em Cabril, Castro Daire, distrito de Viseu, quando combatia um incêndio florestal.

8 agosto 2015

Arcos de Valdevez: Um helicóptero ligeiro de combate a incêndios despenhou-se quando regressava de um fogo em Miranda, Arcos de Valdevez, e duas pessoas ficaram feridas.

29 junho 2015

Paços de Ferreira: Um helicóptero ligeiro da Proteção Civil caiu na localidade de Lamoso, concelho de Paços de Ferreira, quando estava a reabastecer-se de água numa lagoa para combater um incêndio naquela localidade, causando ferimentos ao piloto.

3 setembro 2012

Ourém: A queda de um helicóptero de combate ao fogo junto ao parque de merendas de Espite, no concelho de Ourém, fez dois feridos ligeiros.

19 julho 2012

Beja: Amaragem de um avião anfíbio, que participava no combate ao incêndio em Tavira na albufeira do Roxo, devido a uma falha técnica, sem causar vítimas.

12 agosto 2009

Fundão: Um avião de combate a incêndios aterrou de emergência em Ferreiras, concelho de Fundão. Os dois tripulantes saíram ilesos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+