Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Autotestes Covid-19. Plataforma para informar sobre resultado negativo ainda não funciona

03 abr, 2021 - 11:58 • Pedro Mesquita , Marta Grosso

DGS fica “descredibilizada perante mais uma solução em que estão atrás do prejuízo em vez de estar à frente da pandemia”, lamenta o vice-presidente da Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública.

A+ / A-

Veja também:


Ainda está indisponível a plataforma digital onde deve ser reportado o resultado negativo do autoteste comprado na farmácia.

A notícia é avançada neste sábado pelo jornal “Público”, que diz ter recebido uma “resposta lacónica da Direcção-Geral da Saúde (DGS) e dos outros dois organismos [Infarmed e do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge ] que emitiram a circular”, em 19 de março. “Nem sequer indica quando é que os formulários deverão estar disponíveis”, escreve o jornal.

A Renascença foi ao site e confirmou a inexistência do formulário, algo que o vice-presidente da Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública lamenta.

“Já visitei o site do covid19.min-saude.pt e continua a não estar disponível lá nenhum link, nenhum formulário para que as pessoas possam fazer o autoreporte do seu autoteste negativo”, afirma Gustavo Tato Borges à Renascença.

“É, de facto, surpreendente que, mais uma vez, a DGS anuncie uma medida e ela não esteja implementada quando os cidadãos dela necessitam. Isto é fazer com que a DGS fique descredibilizada perante mais uma solução em que estão atrás do prejuízo em vez de estarem à frente da pandemia”, critica.

Os autotestes já estão à venda nas farmácias e supermercados. As regras para quem os realiza em casa são: em caso de resultado positivo ou inconclusivo, ligar para o SNS 24; em caso de resultado negativo, preencher o formulário que deveria estar disponível online, no site da DGS.

“É uma pena que, para todos a quem a DGS disse que era obrigatório dar uma resposta não haja resposta para dar”, conclui Tato Borges.

Até dia 30 de março, o Infarmed recebeu 32 pedidos para autorização de autotestes, de 21 fabricantes. Contudo, apenas um foi ainda autorizado, anunciou na quinta-feira a autoridade do medicamento.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ivo Pestana
    03 abr, 2021 Funchal 16:56
    Nada de novo. O Stayaway também nunca funcionou e custou uma pequena fortuna. Este país se tivesse o dinheiro que é mal gasto, ajudava muitos portugueses que estão aflitos...enfim.
  • António dos Santos
    03 abr, 2021 Coimbra 12:16
    Isto só acontece, porque a Directora Geral da Saúde já demonstrou que é totalmente incompetente e irresponsável, desde o início da pandemia e todos os quadros são graduados pela mesma bitola. Acho que a justificação de não demitirem esta senhora, por causa de pandemia, é falsa e prejudicial para os portugueses. Não devemos esquecer que o Sr. Presidente da República, já a chamou a atenção para se calar em vez de estar só a dizer asneiras.

Destaques V+