Tempo
|
A+ / A-

Manipulação de eleições

Trump. Quarta acusação criminal pode estar iminente

13 ago, 2023 - 19:44 • João Pedro Quesado

Ex-Presidente dos Estados Unidos da América já foi acusado de conspirar para alterar os resultados da eleição de 2020, deter ilegalmente documentos classificados e pagar o silêncio de uma atriz em 2016.

A+ / A-

A quarta acusação criminal contra Donald Trump pode estar para breve. Uma investigação à tentativa de manipulação dos resultados da eleição presidencial em 2020, nos Estados Unidos da América (EUA), vai apresentar testemunhas a um painel de jurados esta semana, ficando perto de avançar à próxima fase.

De acordo com o jornal Politico, duas testemunhas da investigação criminal no estado da Geórgia confirmaram que vão comparecer perante um painel de jurados no condado de Fulton esta semana, aproximando a procuradora Fani Willis de pedir ao painel que aprove acusações criminais contra o ex-Presidente dos EUA ou os seus aliados.

Caso Trump seja indiciado na Geórgia, seria a quarta acusação em cinco meses.

Eleito em 2016, Trump também é acusado, por um tribunal federal, de conspirar para alterar os resultados da eleição presidencial norte-americana de 2020 e manter-se no poder de forma ilegitíma, e de deter ilegalmente documentos classificados da Casa Branca - 32 crimes são relativos aos documentos com informação de defesa nacional, seis são sobre obstrução à investigação, e dois relacionam-se com afirmações falsas.

A outra acusação, no estado de Nova Iorque, aborda 34 alegados crimes financeiros, levados a cabo para pagar o silêncio de uma atriz de filmes pornográficos no final da campanha eleitoral de 2016. O julgamento vai começar em março de 2024.

A acusação do condado de Fulton marcaria uma investigação de mais de dois anos às tentativas do ex-Presidente dos EUA para alterar os resultados das eleições no estado da Geórgia, que Joe Biden ganhou por uma pequena margem.

Nas semanas após as eleições presidenciais, Trump espalhou mentiras sobre os resultados, ligou pessoalmente ao secretário de Estado da Geórgia - responsável por certificar a contagem dos votos - para pedir a inversão da vontade expressa nas urnas e conspirou para usar eleitores falsos e, assim, falsificar os resultados no Colégio Eleitoral.

Geoff Duncan, o republicano que era o vice-governador do estado durante a eleição de 2020, confirmou na rede social X (antigo Twitter) que foi chamado a depor perante o painel de jurados. "Anseio por responder às questões sobre a eleição de 2020. Os republicanos não devem permitir que a honestidade seja confundida com fraqueza", declarou.

A acusação é o passo provável que se segue aos testemunhos perante o painel de jurados, e pode ser aprovada na terça-feira, cumprindo as previsões de que a quarta acusação chegaria em meados de agosto.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+