A+ / A-
Quim Machado

Chiquinho "pode tornar-se um caso sério" para Lage

11 jul, 2019 - 12:45 • João Fonseca

Quim Machado treinou o médio do Benfica na Académica e anota os pontos em que Chiquinho ainda pode evoluir.
A+ / A-

Quim Machado considera que Chiquinho "pode tornar-se um caso sério no plantel do Benfica". O treinador, que orientou o reforço encarnados na Académica de Coimbra, na época 2017/18, afirma que o médio regressa à Luz "com capacidade de superar os testes a que será submetido nesta fase da pré-temporada".

"A época fantástica no Moreirense fez-lhe bem e deu-lhe confiança". O jogador, quemarcou o golo do Benfica no jogo de apresentação frente ao Anderlecht, revela, agora, maior maturidade na forma como "não tem medo de assumir" o jogo.

Quim Machado fala de um jogador capaz de ocupar várias posições no meio-campo ofensivo, seja na linha, numa posição mais interior ou até mesmo como segundo avançado.

"Demonstrou faro pelo golo, não pára, tem uma dinâmica terrível e pode este ano fazer parte do plantel e afirmar-se no Benfica", acrescenta.

Os 23 anos conferem-lhe ainda grande margem de progressão, nomeadamente, "a perceber o jogo e a ter uma reação forte à perda da bola". Aspetos que certamente irá melhorar, sob a batuta de Bruno Lage e com a mais-valia de treinar "com jogadores melhores", conclui Qui Machado.

Chiquinho foi contratado pelo Benfica na época passada, depois de ter sido considerado o melhor jogador da II Liga, mas não ficou no plantel de Rui Vitória. O jogador foi transferido para o Moreirense e os encarnados ficaram com uma opção de recompra, acionada no final da temporada, quando os minhotos receberam uma proposta dos russos do Krasnodar.


legislativas 2019 promosite
Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.