Tempo
|

Papa beija a mão a seis sobreviventes do Holocausto

26 mai, 2014 • Aura Miguel, em Israel

Francisco mostrou-se comovido e rezou para que uma tragédia igual nunca mais volte a acontecer.

Papa beija a mão a seis sobreviventes do Holocausto
Papa beija a mão a seis sobreviventes do Holocausto
O Papa lamentou a tragédia do Holocausto e rezou para que tal nunca mais volte a acontecer. Comovido, Francisco cumpriu um dos pontos altos da agenda deste terceiro e último dia de viagem à Terra Santa ao visitar o Memorial do Holocausto, em Jerusalém. Francisco encontrou-se com seis sobreviventes, cumprimentando-os um a um com um beijo na mão. Depois, na intervenção que fez - em jeito de oração -, Francisco pediu para que episódios como o Holocausto nunca mais voltem a acontecer.
O Papa lamentou a tragédia do Holocausto e rezou para que tal nunca mais volte a acontecer. Comovido, Francisco cumpriu um dos pontos altos da agenda deste terceiro e último dia de viagem à Terra Santa ao visitar o Memorial do Holocausto, em Jerusalém.

Francisco encontrou-se com seis sobreviventes, cumprimentando-os um a um com um beijo na mão. Depois, na intervenção que fez - em jeito de oração -, Francisco pediu para que episódios como o Holocausto nunca mais voltem a acontecer.

“Dai-nos a graça de nos envergonharmos daquilo que, como homens, fomos capazes de fazer, de nos envergonharmos desta máxima idolatria, de termos desprezado e destruído a nossa carne, aquela que Vós formastes da lama, aquela que vivificastes com o vosso sopro de vida. Nunca mais, Senhor, nunca mais!”

O Papa colocou ainda um ramo de flores no local que homenageia os seis milhões de vítimas judaicas.

Francisco repete a visita que João Paulo II fez em 2000 e que Bento XVI fez em 2009. Tal como os seus antecessores, o Papa esteve na Sala da Memória onde arde uma chama eterna e onde estão escritos o nome dos 22 campos de extermínio nazi.

Neste espaço, em forma de tenda, encontram-se ainda as cinzas de algumas das vítimas dos fornos crematórios; para lembrar as cerca de 1,5 milhões de crianças assassinadas nas câmaras de gás, mais de uma centena de espelhos reflectem a luz de cinco velas.