Tempo
|
A+ / A-

Pinto da Costa

"O Varandas ainda deve pensar que vai ser campeão"

09 mai, 2022 - 09:30 • Redação

Pinto da Costa não recebeu mensagem do presidente do Sporting nem do presidente do Benfica, pelo título conquistado pelo FC Porto.

A+ / A-
Pinto da Costa não recebeu qualquer mensagem do presidente do Sporting, a propósito do título de campeão assegurado pelo FC Porto, mas não estranha, porque, ironiza, "Varandas ainda deve estar a pensar que vai ser campeão".

A relação entre os dois deteriorou-se após o FC Porto-Sporting, da segunda volta do campeonato, em que Frederico Varandas denunciou um ambiente hostil e de complacência num jogo em que, afirmou, refletiu "40 anos de Pinto da Costa".

O presidente do FC Porto reforça não ter sentido falta da mensagem de parabéns do presidente do Sporting e, tal como já tinha dito na noite da celebração, de Rui Costa também não teve contacto.

"Recebi de muitos dirigentes de muitos clubes, de antigos dirigentes e de antigos jogadores até de outros clubes", contrapõe, em declarações ao Porto Canal. O presidente portista criticou, por outro lado, as mensagens do Presidente da República e do primeiro-ministro.

O FC Porto conquistou o 30.º título de campeão nacional no sábado, ao vencer no Estádio da Luz, com golo de Zaidu.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • EU
    09 mai, 2022 PORTUGAL 11:36
    Senhor Jorge Nuno, vou contar-lhe um episódio VIVIDO por mim nos finais da decada de 70. Entre os anos de 72 e 75 fui militar, primeiro cá, depois em Angola. Desses anos trouxe ensinamentos para a minha vida, principalmente em sociedade, ou vida social. Nos finais de 70, fui trabalhar para a cidade do Porto. Andava sempre a pé e morava na zona das Antas, mais propriamente na Rua das Antas. Conheci a cidade de lés a lés. Nessa ZONA havia um indivíduo que tinha por hábito atravessar a rua sempre que alguém passava. Sentado no degrau da entrada de casa, saía sempre que alguém descia ou subia a rua. A intenção era PROVOCAR discussão. Assisti a DISCUSSÕES que terminavam em AGRESSÕES. Como NOVO na rua, tive uma primeira experiência, sem que o resultado fosse para além de um chega para lá. Resmungou, barasfutou ate que num final de tarde, já precavido, quando vi o indivíduo a levantar o RABIOSQUE da pedra, PAREI. Ele atravessou a rua umas 3 4 vezes. Como viu que eu não me mexia resolveu sentar-se. Olhei-o OLHOS nos OLHOS e andei. Não lhe disse NADA. Saía de casa de manhã pela Praca das Flores e regrassava pelo cima da rua, onde era a casa Dele. Comigo, nunca mais fez vontade à sua MANIA. Essa era a de PROVOCAR, pois dessas provocações tirava dividendos. O Senhor como TRIPEIRO de gema, olhe-os OLHOS nos OLHOS e não diga NADA. O pior que pode acontecer a ALGUÉM é sentir-se DESPREZADO. Foi o que eu fiz na Rua das Antas com aquele ARRUACEIRO.

Destaques V+