Tempo
|
A+ / A-

Federação reclama fim da limitação da lotação dos estádios

24 set, 2021 - 11:03 • Lusa

Portugal entra na terceira fase de desconfinamente, mas António Costa não anunciou mudanças na lotação dos espaços desportivos. Federação apela à DGS que levante limitações.

A+ / A-

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) solicitou à Direção-Geral da Saúde (DGS) o levantamento das limitações em relação à lotação dos recintos desportivos, com efeitos já em outubro.

“Face à evolução do combate à pandemia em que se está próximo de atingir os 85% de população vacinada e com o levantamento de medidas de confinamento, a FPF pede à DGS o aumento da lotação de público, mantendo a exigência de apresentação do certificado digital”, refere o organismo, salientando que enviou uma carta à DGS com este objetivo.

De modo a garantir a presença de mais adeptos nos estádios, a FPF manifesta ainda a sua “total disponibilidade para assegurar todas as condições necessárias” para o cumprimento das medidas e salvaguarda da saúde pública.

A taxa de ocupação do público nos recintos desportivos é atualmente de 50% da lotação, depois de já ter sido ampliada em relação aos 33%, no âmbito das restrições da pandemia de Covid-19.

Os grandes eventos desportivos vão manter a necessidade de apresentação de certificado digital de vacinação contra a Covid-19, de acordo com o plano de desconfinamento apresentado na quinta-feira pelo primeiro-ministro.

Nas medidas apresentadas por António Costa, a presença em grandes eventos desportivos é uma das situações em que se mantém a necessidade de ter um certificado digital.

“Caberá à Direção-Geral da Saúde definir o que entende por grandes eventos culturais, desportivos ou corporativos”, disse o primeiro-ministro.

Em relação à lotação dos espaços, António Costa não falou sobre alterações ao limite atual de 50%.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ivo Pestana
    24 set, 2021 Funchal 12:55
    Os simpatizantes sabem proteger-se, já é tempo da dgs não tratar as pessoas do futebol, como crianças.

Destaques V+