A+ / A-

Namorou em Portugal mas casa-se em França. John Textor é o novo dono do Lyon

19 dez, 2022 - 20:02 • Redação

Negócio avalia clube francês em 800 milhões de euros. Empresário norte-americano, que chegou a tentar adquirir 25% do Benfica, garante potenciar equipas masculina e feminina.

A+ / A-

O Olympique de Lyon anunciou, esta segunda-feira, que o empresário norte-americano John Textor adquiriu 77,49% das ações do clube.

Textor tornou-se acionista maioritário do OL Groupe num negócio que avalia o clube em cerca de 800 milhões de euros. Contando com a porção que partilha com a Holnest, Textor detém agora 86,57% do Lyon.

John Textor quase comprou 25% das ações da SAD do Benfica, no entanto, o clube exerceu a opção de veto e impediu a entrada do empresário norte-americano no painel de acionistas da sociedade.

O norte-americano também detém 40% do Crystal Palace e é dono (90%) dos brasileiros do Botafogo, treinado pelo português Luís Castro.

Apostar no masculino e no feminino


Em comunicado emitido no site oficial do Lyon, john Textor informa que o agora ex-proprietário do clube, Jean-Michel Aulas, manterá a gestão operacional "por, pelo menos, três anos", rodeado pela sua equipa.

"Já estamos a pensar em conjunto em como podemos fortalecer a nossa estratégia para recuperar as mais altas ambições para as nossas equipas masculina e feminina, mas também para vós, os adeptos, cujas expectativas valorizamos imensamente", salienta Textor.

O Lyon é uma das mais fortes equipas francesas, no futebol masculino: sete campeonatos, cinco Taças, uma Taça da Liga e oito Supertaças.

No entanto, é no futebol feminino que o Lyon tem o mais recheado palmarés. É por muitos considerado o melhor clube da história, devido aos 19 campeonatos, 11 Taças e recorde de oito Ligas dos Campeões.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+