Tempo
|
A+ / A-

Benfica decide não prosseguir contactos com John Textor

31 jan, 2022 - 18:17 • Redação

O clube encarnado esteve a "avaliar intenções" do empresário norte-americano, que pretende comprar parte do capital social da SAD. Ao fim de cerca de um mês, decide que os referidos contactos informais "não são oportunos neste momento".

A+ / A-

O Benfica informou, esta segunda-feira, à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), que "não pretende prosseguir os contactos informais" com o empresário norte-americano John Textor.

Em comunicado da SAD do Benfica à CMVM, informa-se que o clube, fundador e acionista maioritário, decidiu terminar os contactos com Textor "por entender que os mesmos não são oportunos neste momento".

A nota explica que os contactos se destinaram "a melhor compreender" o interesse do empresário norte-americano em comprar parte das ações da SAD "e não tiveram por objeto qualquer operação ou projeto em concreto".

Compra anunciada, mas por concretizar


John Textor entrou em cena como potencial comprador de 25% do capital social da SAD do Benfica a José António dos Santos, mais conhecido como "Rei dos Frangos". Contudo, após um longo vaivém com o Benfica, clube, a percentagem da eventual compra reduziu para 16.

A 16 de julho, a Direção do clube anunciou que, na condição de detentor de ações de Categoria A no capital da SAD, opunha-se ao negócio.

A compra de 16% do capital da SAD por parte de John Textor depende de aprovação prévia em assembleia geral (AG) com voto favorável do clube. Assim, a Direção do Benfica declarou "considerar inoportuna" esta operação, pelo que à mesma se oporia, "no exercício dos seus direitos e deveres", caso viesse a ser sujeita a deliberação em AG da SAD.

"Neste contexto, a Direção do Sport Lisboa e Benfica esclarece ainda que considera inoportuno receber, de maneira formal ou informal, o Sr. John Textor nesta altura", podia ler-se no referido comunicado.

Nesse sentido, John Textor anunciou que tinha suspendido a compra até depois das eleições. Notícia confirmada pela SAD do Benfica, que revelou que o prazo do acordo fora estendido até 31 de dezembro.

Após as eleições, o presidente do Benfica, Rui Costa, iniciou contactos com Textor para "avaliar intenções". Contactos esses que agora terminam, segundo informou a SAD à CMVM, esta segunda-feira.

"Cartão vermelho" como pano de fundo


José António dos Santos e Luís Filipe Vieira são arguidos da operação "cartão vermelho", que investiga suspeitas de vários esquemas de fraude que causaram prejuízos à SAD do Benfica, ao Novo Banco e ao Estado português, através de impostos não cobrados e injeções de capitais públicos no Novo Banco e de financiamento ao Fundo de Resolução.

Financiamentos suscetíveis de configurar "crimes de abuso de confiança, burla qualificada, falsificação, fraude fiscal e branqueamento".

Também são arguidos o filho do ex-presidente do Benfica, Tiago Vieira, e o agente de futebol Bruno Macedo. A investigação envolve financiamentos e negócios que superam os 100 milhões de euros.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Juíz Vermelho
    01 fev, 2022 Catedral da Luz 08:37
    Menos um trafulha a chegar ao Clube. Agora, é correr com os que ainda lá estão.

Destaques V+