Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Mundial 2022

FIFA abre processo disciplinar ao Equador por alegados cânticos homofóbicos

23 nov, 2022 - 09:45 • Redação com Reuters

Na origem do processo estão cânticos de insulto ao Chile, que chegou a colocar em risco a participação do Equador no Mundial. Chilenos queixaram-se da suposta utilização irregular de um jogador por parte da seleção equatoriana, durante a fase de qualificação.

A+ / A-

Veja mais:


A FIFA abriu um processo disciplinar ao Equador devido a alegados cânticos homofóbicos dos seus adeptos no jogo de abertura do Mundial 2022, frente ao Qatar (que os equatorianos venceram, por 2-0), no domingo.

Os cânticos foram uma forma de insulto ao Chile, que colocou em risco a participação do Equador no Mundial, ao queixar-se da suposta utilização irregular de um jogador equatoriano durante a fase de qualificação.

Em comunicado, a FIFA anunciou a abertura de inquérito disciplinar.

"O Comité de Disciplina da FIFA abriu processo contra a Federação de Futebol Equatoriana devido a cânticos dos adeptos equatorianos durante o jogo do Mundial Qatar-Equador, disputado a 20 de novembro", lê-se.

A federação cita o Artigo 13.º do seu código disciplinar, que castiga "ofensas à dignidade ou integridade de um país, uma pessoa ou um grupo, com palavras derrogatórias, discriminatórias ou insultuosas".

Possíveis castigos incluem jogar à porta fechada ou interdição de estádio.

Este processo chega no mesmo Mundial organizado no Qatar, um país em que a homossexualidade é crime, e em que a FIFA proibiu os capitães das seleções de utilizar braçadeiras da iniciativa "One Love" ("um amor"), com um arco-íris, em defesa dos direitos LGBTQ+, e em que adeptos e jornalistas foram impedidos de entrar nos estádios com símbolos alusivos àquela comunidade.

Byron Castillo no centro da polémica


A animosidade para com o Chile deve-se à queixa dos chilenos contra a a utilização do jogador Byron Castillo por parte do Equador, que não teria condições para representar essa seleção, durante a fase de apuramento para o Mundial. De acordo com os documentos oficiais, Byron teria nascido na cidade General Villamil Playas em 1998, no Equador, mas a acusação alegava que o defesa teria nascido em Tumaco, na Colômbia.

Castillo, lateral-direito, de 23 anos, foi formado no Equador e jogava no país até à época passada, no Barcelona SC, antes de se transferir para o Club León, do México, que é treinado pelo português Renato Paiva.

Após vaivem, a FIFA manteve o parecer do Comité de Disciplina, que já tinha recusado os recursos das federações do Chile e Peru. O Equador está no grupo A do Mundial, com Qatar, Países Baixos e Senegal.

Equador e Países Baixos lideram o grupo, com três pontos, depois das respetivas vitórias frente a Qatar e Senegal, ambas por 2-0, nos seus primeiros jogos. Os anfitriões e os senegaleses não têm pontos.

Também durante o jogo com o Qatar, e sem relação com este processo disciplinar, os adeptos equatorianos cantaram "queremos cerveja", em referência à proibição de consumo de álcool nos estádios do Mundial.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+