Tempo
|
Da Capa à Contracapa
Os grandes temas da atualidade em debate à Terça-feira, depois das 23h, na Edição da Noite. Uma parceria da Renascença com a Fundação Francisco Manuel dos Santos.
A+ / A-
Arquivo
De que é feito o populismo lá fora e cá dentro?

Da Capa à Contracapa

De que é feito o populismo lá fora e cá dentro?

26 abr, 2022 • José Pedro Frazão , Ana Marta Domingues (produção)


Todos já falámos e já ouvimos falar dele. Mas o que significa “populismo”? É um fenómeno novo em Portugal ou nem por isso?

O Populismo passou a ser uma das palavras-chave do vocabulário para entender a política e a sociedade, quer em Portugal, quer no resto do mundo.

Todos já falámos e todos já ouvimos falar de “populismo”. Mas será que sabemos exatamente o que quer dizer esta palavra? “Populismo Lá Fora e Cá Dentro” é o novo livro lançado pela Fundação Francisco Manuel dos Santos que aborda o tema.

Foi escrito pelo investigador e sociólogo político da Universidade de Lisboa José Pedro Zúquete, que, recusando os lugares-comuns, as ideias-feitas e a teoria da “excecionalidade” portuguesa, mostra como o populismo está longe de ser uma novidade na história contemporânea portuguesa.

O autor revela ainda como em Portugal, apesar do frenesim do presente, o populismo nunca foi uma exceção. Na verdade, não só se manifestou no passado distante e recente de várias formas (militar, regenerador e local) como tem condições para prosperar no futuro.

Para debater o tema, são convidados desta edição do Da Capa à Contracapa o autor do livro, José Pedro Zúquete, e o investigador e professor catedrático em Ciência Política do ISCTE André Freire. A conversa é moderada pelo jornalista José Pedro Frazão.

O Da Capa à Contracapa é um programa produzido em parceria com a Fundação Francisco Manuel dos Santos e pode ser ouvido às terças-feiras depois das 23h00 na Edição da Noite da Renascença. Está ainda sempre disponível nas plataformas digitais.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.