Jacinto Lucas Pires-Henrique Raposo
Um escritor, dramaturgo e cineasta e um “proletário do teclado” e cronista. Discordam profundamente na maior parte dos temas. À segunda e quarta, às 9h15
A+ / A-
Arquivo
Jacinto Lucas Pires e Henrique Raposo - Ligações familiares no Governo e ilibação de Trump - 25/03/2019
Jacinto Lucas Pires e Henrique Raposo - Ligações familiares no Governo e ilibação de Trump - 25/03/2019
Mais Opções
Partilhar
H. Raposo

"Quem quer casar com um socialista?"

25 mar, 2019


Henrique Raposo e Jacinto Lucas Pires comentam as relações familiares existentes dentro do Governo e a ilibação de Donald Trump na alegada conspiração com a Rússia para prejudicar Hillary Clinton nas eleições.

A elite portuguesa sofre de endogamia, diz Henrique Raposo a propósito dos laços de parentesco que unem ministros, secretários de Estado e chefes de gabinete do atual Governo.

O comentador das segundas e quartas-feiras sugere, por isso, o nome para um programa de televisão: “Quem quer casar com um socialista?”

Na opinião de Francisco Lucas Pires, “haver só um caso já seria uma questão, haver vários é um problema, de facto”.

“É totalmente desnecessário e, além disso, é um erro político. A política faz-se de sinais e governar devia ser mais um círculo aberto do que uma salinha de estar, fechada entre amigos e familiares”, defende.

Os dois comentadores consideram que “há um lado de aparência nos cargos públicos que é essencial” e que o PS está a enviar “um sinal errado às pessoas”.

Sobre o facto de o Presidente norte-americano, Donald Trump, ter sido ilibado da acusação de conspirar com a Rússia para prejudicar Hillary Clinton nas eleições, Jacinto Lucas Pires diz não ter ficado surpreendido, mas destaca que há ainda “outros crimes continuam em cima da mesa e temos de ver o que o relatório diz ao certo”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.