Tempo
|
A+ / A-

Ministra da Saúde

Covid-19. Vacinação nos lares arranca na próxima semana em 25 concelhos

29 dez, 2020 - 19:34 • André Rodrigues

Marta Temido adianta que 16.701 profissionais de saúde já receberam a vacina contra a Covid-19 em Portugal, sem registo de reações adversas. A ministra evitou comentar a disputa entre PSP e GNR por causa da escolta das vacinas em Évora, dizendo que "os incidentes ultrapassam-se e ajudam-nos a clarificar os processos".

A+ / A-

Veja também:


A vacinação contra a Covid-19 nos lares de idosos vai arrancar na próxima segunda-feira, anunciou a ministra da Saúde numa conferência de imprensa após uma reunião de trabalho com a coordenação do Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19.

Aos jornalistas, Marta Temido explicou que "está prevista uma entrega de vacinas Pfizer na semana que se inicia a 4 de janeiro e, nesse momento, iremos não só prosseguir a vacinação a profissionais de saúde, mas avançar também para a vacinação em estruturas residenciais para pessoas idosas".

A prioridade são as estruturas residenciais num total de 25 concelhos onde se regista maior incidência da Covid-19.

“Temos 25 concelhos com risco extremo, com mais de 960 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias” que abrangem um universo de aproximadamente “150 estruturas residenciais para idosos e estruturas de cuidados continuados integrados”, espalhadas por "11 concelhos na região Norte, cinco no Centro, um concelho na região de Lisboa e Vale do Tejo e oito concelhos na região do Alentejo”, detalhou a ministra.

16.701 profissionais de saúde vacinados sem reações adversas

Em conferência de imprensa, Marta Temido também informou que 16.701 profissionais de saúde já foram vacinados contra o coronavírus SARS-CoV-2 em Portugal.

"Não é só um número que ultrapassa o que teriam sido as doses que chegaram no dia 26, mas que reflete já também aquilo que foram as doses chegadas ontem e que começaram hoje a ser administradas", elucidou.

Questionada sobre a eventual ocorrência de reações adversas ao imunizante, Marta Temido assegurou que, “até agora, não foram detetadas”, garantindo, ainda, que “toda a atuação perante estas circunstâncias está protocolada".

No entanto, caso ocorram sintomas adversos, a ministra da Saúde recomenda que as situações sejam reportadas à linha SNS24 ou à unidade de saúde onde a vacina foi administrada.

Marta Temido escusou-se, ainda, a comentar o episódio da disputa entre GNR e PSP para a escolta das vacinas, ocorrido esta segunda-feira à saída do Hospital de Évora, dizendo, apenas, que “os incidentes ultrapassam-se e ajudam-nos a clarificar os processos para futuro e a melhorar”.

A ministra da Saúde anunciou, ainda, que "vai realizar amanhã uma reunião informal com os cinco hospitais que iniciaram a vacinação no domingo" para fazer um balanço dos primeiros dias de imunização contra a Covid-19.

Confrontada, ainda, com a recusa de vacinação por parte de 140 profissionais do Centro Hospitalar Tondela-Viseu, Marta Temido disse ser necessário apurar as razões que cada pessoa possa apresentar, mas lembrou que "a vacinação é voluntária, facultativa e que se as pessoas entendem que precisam de mais informação, que precisam de outro tempo, naturalmente que esperaremos por elas e por esse processo, caso seja feito num momento posterior".

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+