Tempo
|
Tudo sobre o EURO 2020 Últimas Notícias
Tudo sobre o EURO 2020 Últimas Notícias
A+ / A-

Marcelo critica ajuntamentos na festa do Sporting. "Quem deve prevenir, não conseguiu"

12 mai, 2021 - 12:08 • Redação

Presidente da República diz que celebrações deram mau exemplo do que deve ser o desconfinamento. Dezenas de milhares de pessoas celebraram sem distanciamento, e muitas sem máscara, a conquista do Sporting.

A+ / A-
Foto: Hugo Delgado/Lusa
Foto: Hugo Delgado/Lusa
Celebrações juntaram milhares de pessoas. Foto: Eduardo Costa/Lusa
Celebrações juntaram milhares de pessoas. Foto: Eduardo Costa/Lusa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, não gostou dos ajuntamentos nas celebrações do título de campeão nacional do Sporting na cidade de Lisboa e diz que o momento foi um mau exemplo para o resto do país.

Em declarações na manhã seguinte à festa leonina, que reuniu milhares de pessoas na cidade de Lisboa, sem a devida distância e sem o cumprimento de outras normas de segurança em tempo de pandemia, Marcelo Rebelo de Sousa espera que os números de infeções não aumentem por causa dos ajuntamentos.

"Espero que daqui por 15 dias não tenhamos notícias menos boas por causa da euforia de ontem. Não deve ser padrão para os próximos meses. Se toda a gente começa assim, no plano político, cultural, religioso e desportivo, que começam a entender que desconfinamento significa não observar regras nenhumas, isso pode levar a situações que não são boas para ninguém", atira.

Marcelo Rebelo de Sousa deixou ainda críticas à organização da celebração e aos cidadãos presentes nas celebrações: "Quem deve prevenir, não conseguiu, que são as entidades responsáveis e todos os cidadãos".

Na terça-feira, dezenas de milhares de pessoas celebraram sem distanciamento, e muitas sem máscara, a conquista do Sporting, apesar do atual estado de calamidade. O comportamento é visto como perigoso e preocupante pelo vice-presidente da Associação de Médicos de Saúde Pública.

Gustavo Tato Borges considera que permitir a entrada de adeptos no Estádio de Alvalade teria sido preferível – opinião que vai ao encontro da do antigo ministro da Saúde Adalberto Campos Fernandes, à Renascença.

Nos festejos da última noite, a polícia chegou a disparar balas de borracha para conter os milhares de adeptos. Vários objetos foram arremessados aos agentes, como pedras e garrafas. O balanço final fica para mais tarde, mas confirma-se vários feridos e detenções.

A Câmara Municipal de Lisboa anunciou, entretanto, que a receção aos novos campeões nacionais será no dia 20, quinta-feira da próxima semana, ainda sem hora marcada.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ruben Alexandre
    12 mai, 2021 Massamá 14:39
    Se tivessem cancelado os campeonatos até a pandemia acabar, já não acontecia isto, ou estavam a espera que as pessoas ficassem todas em casa? Benfica, Porto ou Sporting iam festejar todos da mesma maneira, toda a gente sabia disso.
  • António dos Santos
    12 mai, 2021 Coimbra 12:01
    A culpa desta situação é das seguintes entidades: 1ª - Da DGS que durante esta pandemia, tem revelado uma total incompetência, na gestão da pandemia. Pelo que, aos quadros superiores da DGS, já deviam ter sido demitidos; 2º - O incompetente do ministro da administração interna, que com a sua actuação só tem prejudicado a imagem do governo. Já devia estar fora, porque é prejudicial para os portugueses e os mesmos, não têm que estar a pagar a uma pessoa assim; 3º - O comando da PSP demonstrou uma total incapacidade de comando e de gestão desta situação. O que não me espanta, porque é transversal a outros comandos distritais da PSP (ex. Coimbra). Quem vai assumir a responsabilidade e suas consequências, deste crime público?

Destaques V+