A Covid-19 acelerou a saída da Nevaro da universidade para o mercado

23 set, 2020 - 13:36 • Joana Bourgard , João Carlos Malta

Há cerca de dois anos que quatro alunos da Faculdade e Ciências da Universidade de Lisboa desenvolviam um projeto para curar fobias através de realidade virtual e realidade aumentada. Mas o novo coronavírus baralhou tudo e obrigou-os a reinventarem-se. Apareceu a Nevaro que viu no vírus o propulsor para arrancar. Durante esta semana a Renascença publica um conjunto de histórias de empresas que nasceram entre 19 de março a 2 de maio, período em que o Governo decretou o confinamento do país.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários

Renascença na Ucrânia

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.