Tempo
|
A+ / A-

Santuário de Fátima já tem plano para o 13 de outubro e DGS vai elaborar parecer

23 set, 2020 - 15:13 • João Carlos Malta

Já houve duas reuniões entre os responsáveis do Santuário de Fátima, do Governo e das autoridades de saúde. É necsssário agora acertar pormenores e, em breve, haverá um parecer da DGS.

A+ / A-

Veja também:


A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, disse na conferência de imprensa desta quarta-feira que, depois de duas reuniões com os responsáveis do Santuário de Fátima, o plano de contingência para a peregrinação do 13 de outubro está em apreciação, e que em breve haverá um parecer.

A responsável diz que, nesta semana, já se realizaram dois encontros que juntaram responsáveis do Santuário de Fátima, o secretário de Estado da Saúde Adjunto, António Lacerda Sales, e a própria diretora-geral da Saúde, Graça Freitas.

No início da semana, foi abordada a questão do plano de contingência sendo que foram colocadas questões por ambas as partes, e feitos os devidos esclarecimentos.

No segundo encontro, foi então realizada a apreciação do plano para analisar se estaria conforme as recomendações das autoridades de saúde.

"Na segunda-feira, foi-nos apresentado o plano de contingência do Santuário e nós recebemos esse plano e ontem [terça-feira] fizemos a segunda reunião, esta já de carácter mais operacional entre a DGS e os pontos focais do Santuário. Deu-se início agora ao trabalho habitual que é de a apreciação desse plano e ver se ele está conforme as nossas recomendações e, no final, sairá, como tem saído para outras circunstâncias, um parecer que tem em conta todas os normativos que temos em vigor e o momento epidémico em que nos encontramos", disse a directora-geral da Saúde.

Fecho no 13 de Setembro

A 13 de setembro, o Santuário de Fátima teve de fechar as entradas no recinto, durante a realização da peregrinação, por ter atingido a lotação de segurança prevista no seu plano de contingência. Segundo Carmo Rodeia, porta-voz do Santuário, foi a primeira vez que tal aconteceu durante o período de desconfinamento.

“Encerrámos por completo as entradas pelos túneis e monitorizámos, com a colaboração da GNR, todas as restantes entradas”, explicou, na altura, a porta-voz à Renascença, revelando ainda que, desde agosto, têm vindo a monitorizar as entradas, pois “as pessoas têm participado muito na missa dominical às 11h00”.

Um dia depois, o secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, referiu que Santuário de Fátima não estaria à espera de receber tantas pessoas no recinto por altura da peregrinação do 13 de setembro, mas que "quando se apercebeu do número de pessoas fechou as entradas".

"A instituição já reconheceu isso mesmo", disse o governante. Sobre o incidente, Lacerda Sales referiu ainda que a Igreja Católica tem um histórico de bom comportamento para com as autoridades de saúde durante o combate à epidemia do Covid-19. “Gostaria de recordar que a Igreja Católica teve, no passado recente, um histórico de comportamento exemplar e de diálogo constante e permanente com as autoridades de saúde.

Medição da temperatura só nos aeroportos

Um outro assunto que esteve em discussão na conferência de imprensa desta quarta-feira foi a medição da temperatura nas escolas. A diretora-geral da Saúde avançou que, neste momento, é apenas "feita nos aeroportos" e "é feita com determinados critérios e equipamentos". "Na restante população não temos uma recomendação especifica", garante.

Graça Freitas diz que a política adotada tem sido a de cada um fazer a medição da temperatura "antes de ir para a escola ou para o trabalho".

E às instituições que ainda assim o decidam fazer, aconselha a pedir autorização aos visados e a manter o sigilo

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.