Tempo
|
A+ / A-

13 de setembro

Enchente leva Santuário de Fátima a bloquear entrada a mais peregrinos

13 set, 2020 - 13:23 • Teresa Paula Costa

O recinto atingiu a lotação máxima de pessoas, este domingo, durante a peregrinação do 13 de setembro, e teve de fechar portas de acesso.

A+ / A-

O Santuário de Fátima teve de fechar as entradas no recinto, durante a realização da peregrinação de setembro deste domingo, por ter atingido a lotação de segurança prevista no seu plano de contingência. Segundo Carmo Rodeia, porta-voz do Santuário, foi a primeira vez que tal aconteceu durante o período de desconfinamento.

“Encerrámos por completo as entradas pelos túneis e monitorizámos, com a colaboração da GNR, todas as restantes entradas”, explicou a porta-voz à Renascença, revelando ainda que, desde agosto, têm vindo a monitorizar as entradas, pois “as pessoas têm participado muito na missa dominical às 11h”.

Quanto aos motivos que levaram as pessoas a acorrer ao santuário nesta peregrinação que não é, tendencialmente, uma das maiores, nem a mais expressiva do ano, Carmo Rodeia disse acreditar que tal se terá ficado a dever também ao facto de, este ano, a peregrinação ter coincidido com um fim de semana.

Questionada sobre o número de peregrinos que terão estado no recinto, a porta-voz disse que não se consegue fazer uma estimativa, tendo em conta que estiveram presentes muitas famílias. O que é certo é que, afirmou Carmo Rodeia, “os parques de estacionamento a norte do santuário e o parque 11 e 12 estiveram na sua lotação máxima, mas os 13 e 14 ainda estão muito aquém da sua capacidade máxima.”

Relativamente ao cumprimento das regras de segurança por parte dos peregrinos dentro do recinto, Carmo Rodeia fez questão de salientar que “há um uso generalizado da máscara”, reiterando que “o próprio santuário vai fazendo avisos ao longo da celebração para que as pessoas possam manter o distanciamento social.”

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Maria Emília Saraiva Ribeiro
    13 set, 2020 Cascais 17:22
    Está a ser um corropio de encovalho ao Santuário com os despedimentos. Talvez serem mais moderados nos gastos em remodelações de capelas, e tantos outros gastos . Bem sabemos que as pessoas não dinheiro, são sempre os mais pequeninos que sofrem. Porquê de tantos assalariados,coro,etc... Não havendo peregrinações, não há esmolas.