Tempo
|
A+ / A-

Taxistas vão exigir milhões à Uber em tribunal

11 mai, 2016 - 17:54

A associação de taxistas considera corresponsáveis as autoridades que não impediram a operação da plataforma de transporte privado.

A+ / A-

A associação que representa os taxistas vai pedir milhões de euros de indemnização por prejuízos num processo contra a Uber, considerando como corresponsáveis as autoridades que não impediram a operação da plataforma de transporte privado.

Florêncio Almeida, presidente da Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL ) comentava, em declarações à agência Lusa, declarações do presidente da Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT), João Carvalho, que esta quarta-feira admitiu, no Parlamento, que a Uber funciona de forma ilegal e defendeu que compete à ANTRAL pedir a execução da sentença que proibiu os serviços da Uber em Portugal.

“Não é verdade. O próprio tribunal notificou todas as autoridades do país para fazerem cumprir a decisão. Não é a ANTRAL que tem de [pedir o cumprimento da sentença]. O próprio tribunal decidiu. Notificou o IMT, notificou o Governo, notificou a Anacom, notificou as câmaras de Lisboa, Porto e Coimbra. Notificou as operadoras de telecomunicações. Tudo foi notificado para cumprir”, realçou Florêncio Almeida.

O dirigente da ANTRAL afirmou ainda que, devido a terem sido notificadas e não terem agido, estas autoridades “estão a incorrer numa coima diária de 10 mil euros” e vão ser incluídas na acção principal contra a Uber, que a organização de taxistas deve apresentar “muito brevemente”.

“No processo [acção principal que se segue a uma providência cautelar] que estamos a preparar contra a Uber essas entidades também vão ser incluídas, porque elas são corresponsáveis por não fazerem cumprir as decisões dos tribunais”, disse.

Florêncio Almeida salientou que no processo vai ser pedida uma indemnização “de milhões, não de meia dúzia de tostões”, com base “em prejuízos causados à indústria do táxi”.

A ANTRAL irá ainda mover brevemente uma providência cautelar contra a plataforma espanhola de transporte privado Cabify, que esta quarta-feira começou a operar em Portugal, num processo autónomo, afirmou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Pinto
    07 jun, 2016 Porto 12:22
    Os taxistas empregados sempre ganharam mal, para repor mais uns euros é claro que se aproveitam dos clientes, se forem turistas....ó da guarda... até esvaziam os bolsos aos coitados.
  • 12 mai, 2016 23:19
    Ò Senhor Carlos Santos não diga isto que fica feio nem todos os taxistas enjoem à quem esteja a trabalhar limpos lavados e cheirosos ,,,jà andei de carro muita vez mais meu marido eu jà fui ao continente mais de cem vezes e tambem nos Açores hà casas que não estão bem limpas como um carro de taxista não vamos por em baixo a profição que tambèm correm o risco a toda a hora coitados ,,,,!
  • Pedro Godinho
    12 mai, 2016 Lisboa 11:26
    Parece que só no sector dos taxis é que não pode haver concorrência. A concorrência é salutar e beneficia todos os agentes, não só os clientes, mas também os próprios taxistas, que há anos que vivem à conta do regime de monopólio perpetuado pelo senhor Florêncio, sem pensarem que o mundo evoluiu e que os clientes são cada vez mais exigentes com educação, asseio, qualidade das viaturas e do serviço. Enquanto isso não mudar haverá cada vez mais espaço para Uber's e Cabify's, legais ou ilegais. Abraços
  • Petervlg
    12 mai, 2016 Trofa 10:04
    A Uber só existe, porque é mau o serviço taxi em Portugal.
  • Toni
    12 mai, 2016 Capinha 08:46
    Pois nestes comentários esta quase tudo a fugir ao assunto pois aqui o assunto Transportes de passageiros em veículos ligeiros ate 9 lugares . A lei Portuguesa diz para ter aceso a actividade e preciso ter Alvará Licença Municipal para a empresa ou nome individual para o Motorista tem que ter averbado na carta de condução e tem que ser possuidor de carteira profissional CAP . Depois somos obrigados a seguros próprios para Táxi os carros mesmo novos vão todos os anos a inspecção a partir de 7 anos de meio e meio ano .Mais temos tarifas que somos obrigados verificações anualmente.Pois aqui esta a diferença da UBER por isso e ilegal em Portugal para eles trabalharem o estado tem que os obrigar a estas medidas por mi esta dito. Agora sobre o sabão azul a limpeza dos motoristas de Táxi as bufas como dizem a limpeza dos carros isso cabe as autoridades fiscalizarem e autuarem em conforme a lei Obrigado.
  • José Ferreira da Sil
    12 mai, 2016 Bruxelas 07:56
    Se a Uber é ilegal deve ser expulsa . Realmente não se percebe porque uns devem ter licensas estudos , pagar impostos e outros não precisam de nada dessas coisas. Até ousam pedir proteçõ policial para exercer uma atividade ilegal. (imaginem um traficante de droga a pedir proteção policial... ) . Na Belgica, Franca e outros paises a Uber e consortes foi proibida.
  • pogis
    12 mai, 2016 porto 07:29
    Viva Uber.
  • EU
    11 mai, 2016 23:56
    Neste momento a UBER é ilegal. Isso é uma verdade. Agora eu pergunto; faz sentido existir uma rede de praças de taxis como aquela que hoje existe? Uma coisa é certa, alguma coisa vai ter de mudar!
  • Marta Pacheco
    11 mai, 2016 Vidago 23:35
    Os taxistas protestaram tanto contra a Uber no tempo do governo Passos, ainda me recordo dos taxistas furiosos a berrar durante a tradicional arruada do PSD/CDS em Lisboa, na campanha eleitoral de outubro e, agora o PS do Costa quer abrir a porta à Uber e equipará-los aos taxistas? Ainda por cima, o Costa vai permitir a entrada de uma nova empresa espanhola que vem fazer concorrência aos taxistas, e que na prática é uma nova Uber. E o BE e o PCP que prometeram apoiar os taxistas, agora não fazem nada?
  • luis
    11 mai, 2016 Lisboa 23:33
    Espero que a Uber pague muitos milhões por desrespeitar as leis do país e por concorrência desleal.

Destaques V+