A+ / A-

Papa aos jovens da Colômbia: “Venho aprender convosco a lidar com a adversidade”

07 set, 2017 - 17:24 • Aura Miguel , Filipe d'Avillez

Jovens não devem ceder ao relativismo, mas Francisco pede que tenham compreensão pelos erros dos outros.
A+ / A-
Papa cita García Marquez na Colômbia. "Perante a opressão, a resposta é a vida"
Papa cita García Marquez na Colômbia. "Perante a opressão, a resposta é a vida"

Veja também


O Papa Francisco benzeu esta quinta-feira à tarde os milhares de fiéis que se concentraram junto ao palácio cardinalício, em Bogotá, dirigindo-se de forma particular aos jovens.

Dando continuidade ao tema da paz, que tem sido o principal enfoque da sua visita a um país que procura pôr termo a mais de 50 anos de guerra civil, o Papa disse que tinha vindo para aprender com eles.

“Venho também para aprender; sim, aprender convosco, com a vossa fé, com a vossa fortaleza perante a adversidade. Vivestes momentos difíceis e obscuros, mas o Senhor está perto de vós, no coração de cada filho e filha deste país. Sou bispo, e venho aprender”, disse Francisco.

Inspirados por Cristo, são estes os jovens em quem o Papa confia para construir um novo futuro para a Colômbia. “O fogo do amor de Cristo faz transbordar esta alegria e é suficiente para incendiar o mundo inteiro. Então que poderia impedir-vos de mudar esta sociedade e realizar os vossos propósitos? Não temais o futuro! Ousai sonhar grandes coisas! É a este sonhar em grande que hoje vos quero convidar.”

O Papa sublinhou que os jovens tendem a ser mais sensíveis a reconhecer o sofrimento dos outros e pediu que os colombianos se deixem mobilizar pelo sofrimento dos seus compatriotas. “ E a nós, os mais velhos, ajudai-nos a não nos habituarmos ao sofrimento e ao abandono”.

Dizendo ainda que os jovens colombianos sabem que o mundo não é “preto e branco”, Francisco alertou para o perigo de que esta realização os “exponha ao risco de cair num ambiente de relativismo”. Sem sucumbir a esse risco, devem, contudo, tentar compreender os erros dos outros. “Compreender que, mesmo por detrás de um erro (porque o erro é erro, e não se deve mascará-lo), há uma infinidade de razões, de atenuantes. Quanto precisa de vós a Colômbia, para se colocar na pele daqueles que, há muitas gerações, não puderam ou não souberam fazê-lo, ou não atinaram com o modo justo para chegar a compreender!”

Por fim, o Papa realçou a capacidade dos jovens de perdoar. “A vossa juventude também vos torna capazes duma coisa muito difícil na vida: perdoar. Perdoar a quem nos feriu; é digno de nota ver como não vos deixais enredar por velhas histórias, como olhais de modo estranho quando nós, adultos, repetimos histórias de divisão simplesmente porque estamos presos a rancores. Ajudais-nos neste intento de deixar para trás aquilo que nos ofendeu, ajudais-nos a olhar para a frente sem o obstáculo do ódio, porque nos fazeis ver toda a realidade que temos à nossa frente, toda a Colômbia que deseja crescer e continuar a desenvolver-se; esta Colômbia que precisa de todos e que nós, os mais velhos, devemos entregar a vós."

Ao terminar o seu discurso, o Papa dirigiu-se agora a todos, “crianças, jovens, adultos e idosos”, descrevendo-se como alguém “portador de esperança” e pediu que “que as dificuldades não vos oprimam, que a violência não vos abata, que o mal não vos vença”.

A visita do Papa à Colômbia prossegue esta quinta-feira com um encontro com os bispos e depois com a direcção da Conferência Episcopal Latino-americana. Esta noite, às 22h de Lisboa, Francisco celebra missa em Bogotá. A visita propriamente dita termina apenas no domingo à noite.


A Renascença acompanha em permanência a visita do Papa à Colômbia. Siga em directo e acompanhe as transmissões vídeo em directo.

A Renascença na Colômbia com o Papa Francisco. Apoio: Santa Casa da Misericórdia de Lisboa


guialiga19_20_banner
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.