O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

Ao minuto. França em estado de alerta

13 nov, 2015 - 21:13 • Carlos Calaveiras , Ricardo Vieira , Matilde Torres Pereira , Pedro Rios , Filipe d'Avillez , Ricardo Conceição

A+ / A-
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • PB
    16 nov, 2015 Lx 12:01
    Enquanto isso na Madeira, Cavaco reune-se com as cagarras e prepara-se para almoçar. O povo continua sereno !
  • HORACIO
    15 nov, 2015 lisboa 16:12
    Todo o apoio sentimental do mundo nao vai trazer as vitimas de volta. Agora a realidade tem de ser encarada de frente a politica neo liberal da europa esta a por em risco a vida e a qualidade de vida dos europeus .Ao acolherem milhares ou talvez ate milhoes de muculmanos os politicos europeus mostraram uma irresposibilidade imperdoavel. A europa provou que nao e viavel enquanto houver gente a governar que nao entende que seus atos poe em risco o bloco como um todo. Os Hungaros e outros povos que estam mais proximo dos paises islamicos entendem o risco e nao querem aceitar este povo.mas os neo liberais da europa querem impor a sua ignorancia e politica de fronteiras abertas ao resto da europa. Ao ignorarem o facto de que esta gente se encontra refugiada muito por culpa propria por apoiraem as leis islamicas em seus proprios paises .por defender ideias retrogodas .vale lembrar ao neo liberais que uma boa parte dos combatentes do estado islamico nasceram em paises democraticos e escolheram o radicalismo. que muitos sao ingleses,franceses,americanos e ate portugueses. Este povo nao se integra a religiao deles nao permite e prega o odio e o apartheid.se nao acreditam e so pesquisar a origem da palavraa kafir que era usada por o regime do apartheid na africa do sul para descrever os negros.a palvra e de origem arabe e descreve uma pessoa que nao e arabe de forma inferior. E assim que o arabe ve outros povos como kafirs infieis a serem abatidos . devemos no minimo entender isso.
  • João Lopes
    15 nov, 2015 Viseu 14:36
    Devemos aproveitar o que aconteceu, algo hediondo, em França e antes noutros países da África e do Oriente, para pensar que o problema é muito mais grave. A morte de seres humanos inocentes tem sido desvalorizada. Em todos os países está praticamente legalizado o aborto e vai-se promovendo a eutanásia e o infanticídio como um direito, e até um sinal de progresso e conquista da liberdade. Em Portugal, desde 2008 há uma média de 51 abortos por dia (18.600 por ano). Em França há cerca de 200 mil abortos por ano (547 por dia). E são seres humanos indefesos e inocentes. É um crime abominável, é um verdadeiro estado de barbárie, anticivilizacional! E quando não se defende a vida humana em todas as circunstâncias, não há segurança para ninguém…
  • Neves
    15 nov, 2015 Trappes 08:17
    STOP!!! PAREM com estes aos de barbaria! Vamos todos viver em Paz!
  • Ricardo
    14 nov, 2015 Benguela 21:09
    Pois é.... tantas fazem aos outros, mas não hostam qd os outros dão o troco. Qtos mortos não fazem estes pseudo defensores da democracia, por esse mundo fora. Olhem para o q a europa e os EUA fazem antes de dizerem disparates. Vejam o cenário todo e não apenas uma parte... sejam isentos e imparciais. Sejam intelectualmente e culturalmente honestos.
  • B.V.
    14 nov, 2015 Lisboa 19:57
    Tragam os refugiados sirios,em vez de destruir o Estado islamico na Siria para permitir aos sirios continuar a viver no seu proprio pais. Depois queixem-se...
  • Maria José Acabado
    14 nov, 2015 Senhora da Hora- Matosinhos 17:35
    ESTOU SOLIDÁRIA COM OS FRANCESES . ESTOU DE LUTO COMO TODOS OS FRANCESES. SEGUI ONTEM Á NOITE TODO O TERROR E A CHACINA A QUE AS PESSOAS QUE ESTAVAM DESCONTRAIDAMENTE NO BATACLAN ! IAM ASSISTIR A UM CONCERTO E MUITAS NÃO SAÍRAM DE LÁ COM VIDA . ASSISTI NA TV E FIQUEI HORRORIZADA !
  • Nelson Roaneque
    14 nov, 2015 Nacala - Porto 17:17
    É chocante esta morte de inocentes. Os protagonistas devem se envergonhar porque são fracos de enfrentar os verdadeiros inimigos, e tomem nota: " Não matam em nome de Allah, e sim, em suas más atitudes"!
  • Paulo
    14 nov, 2015 Santarem 15:41
    Armas atómicas já para eliminar o estado islâmico !
  • Pedro
    14 nov, 2015 Oeiras 15:28
    Onde há desgraças há sempre um Português. Deve ser do fado.