Ser presidente da CNPD deve ser “das atividades mais frustrantes no domínio da ação pública”

19 abr, 2022 - 08:00 • Inês Rocha , Joana Gonçalves

No último ano à frente da Comissão Nacional de Proteção de Dados, Filipa Calvão deixa recados à tutela - como o desejo de poder ir ao mercado contratar juristas - e fala da “angústia” de trabalhar sem meios.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.