Ucrânia

"Não sabemos o que fazer. Entretanto vou mandando abaixo sites russos"

20 mar, 2022 - 20:25 • José Pedro Frazão

Dmitro e Marina não são o típico exemplo de refugiados ucranianos na Hungria. Na verdade, nem sequer têm esse estatuto pois a sua história é muito diferente. Vinham de umas férias no Egipto quando acabaram por aterrar em Budapeste sem regressar à Ucrânia. Consideram não ser seguro voltar a Cherkassy, 200 quilómetros a sul de Kiev. Em contacto direto com amigos e família, Dmitro sabe que se entrasse na Ucrânia já não sairia, por estar em idade de combater. Para já fica do lado de fora, tentando perceber para onde ir. Enquanto isso, como programador informático, usa os seus recursos na ciberguerra contra o adversário russo.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários

Renascença na Ucrânia

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.