Rússia/Ucrânia

A guerra na primeira pessoa. "O silêncio dos nossos familiares é o pior para nós"

25 fev, 2022 - 23:15 • Henrique Cunha , Beatriz Lopes (entrevistas) , Sofia Freitas Moreira (edição) Reuters (imagens)

A Renascença tem recolhido vários testemunhos de portugueses ligados ao conflito na Ucrânia. Um empresário português a viver na cidade ucraniana Poltava, uma jovem ucraniana que vive em Portugal há 20 anos e um professor português na Polónia, que tem auxiliado refugiados na fronteira, relatam as informações que vão obtendo em primeira mão, ou através de familiares e amigos no local.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários
Tópicos

Renascença na Ucrânia

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.