Guerra voltou à Europa. Um mês de morte, destruição e resistência na Ucrânia

24 mar, 2022 - 06:15 • Sofia Freitas Moreira , Joana Gonçalves

Num mês, a invasão da Ucrânia, ordenada por Vladimir Putin, vitimou quase mil civis, 78 dos quais crianças. Mais de 1.500 ficaram feridos e 3,6 milhões já abandonaram o país. O Presidente da Ucrânia, que nos últimos 30 dias se tornou um símbolo da resistência democrática, reforça, diariamente, o apelo a todas as nações para que apoiem o país a pôr fim à invasão russa.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.