​REPORTAGEM

Sandes, amor e lágrimas. Assim trabalha a Cáritas polaca na fronteira com a Ucrânia

01 mar, 2022 - 20:03 • José Pedro Frazão , Sofia Freitas Moreira

O colete de cor vermelha da Cáritas polaca pode ser encontrado no corpo de muitos voluntários em todos os pontos críticos da fronteira com a Ucrânia. A organização católica gere a crise em ligação direta com a congénere ucraniana, que também ela se refugiou parcialmente no país de São João Paulo II. A coordenação com as autoridades é vista como a chave da boa resposta humanitária. Uma reportagem do enviado especial da Renascença na fronteira com a Ucrânia, José Pedro Frazão.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.