Tempo
|
A+ / A-

Rolling Stones regressam 18 anos depois à edição de discos

20 out, 2023 - 11:24 • Maria João Costa

“Hackney Diamonds” é lançado esta sexta-feira. Desde 2005 que as lendas do rock não editavam um álbum. São 12 temas originais que a banda de Mick Jagger gravou em vários pontos do mundo e onde conta com a participação de nomes como Lady Gaga, Stevie Wonder, Elton John ou Paul MacCarney.

A+ / A-

“Eles não soavam tão bem há cerca de meio século”. É desta forma que a conceituada revista Rolling Stone descreve o novo disco dos The Rolling Stones. “Hackney Diamonds” que esta sexta-feira chega ao mercado discográfico com a chancela da Universal, marca o regresso da banda aos álbuns.

Desde 2005, e do disco “A Bigger Bang”, que os Rolling Stones não entravam em estúdio e, desta vez, andaram pelo mundo a gravar. Segundo, a editora o álbum “foi gravado em vários locais, um pouco por todo o mundo, incluindo os Henson Recording Studios, em Los Angeles; os Metropolis Studios, em Londres; os Sanctuary Studios, em Nassau, Bahamas; os Electric Lady Studios, em Nova Iorque; os The Hit Factory/Germano Studios e também em Nova Iorque”.

Os 12 novos temas incluem a participação de vários nomes da música. Além de Lady Gaga, na voz, e de Stevie Wonder, nos teclados e piano na música “Sweet Sounds Of Heaven”, o disco conta também, nos temas “Get Close” e “Live By The Sword'” com o piano de Elton John e em “Bite My Head Off” com o baixo de Paul McCartney.

O falecido baterista dos Rolling Stones Charlie Watts entra também no disco. “Participou em duas canções, “Mess It Up” e “Live By The Sword”, diz a editora.

“Hackney Diamonds” é o primeiro disco da banda de Mick Jagger, Kieth Richards e Ronnie Wood produzido pelo produtor e músico Andrew Watt.

O tema single que sai hoje para o mercado é justamente “Mess it Up”, onde a batida da bateria de Charlie Watts é escutada. Sobre o tema, Mick Jagger afirma: “Originalmente, era mais orientado para os sintetizadores, mas Keith quis mais guitarras. É uma música muito alegre”.

Já Keith Richards admite que passou a gostar da música, mas interroga-se sempre “o que é que o Charlie Watts teria feito com a canção”. Richards diz: “Cada vez que ouço o tema, vejo o sorriso irónico no rosto de Charlie”.

Por seu lado, Ronnie Wood explica que concordaram fazer a música assim, “porque assim que o Mick [Jagger] ouvisse, ficaria rendido”.

Há 61 anos na indústria da música, os The Rolling Stones já venderam mais de 250 milhões de álbuns em todo o mundo. “No ano passado, o grupo emocionou o público europeu, totalizando quase um quarto de milhão na digressão de aniversário “Sixty”, recorda a editora em comunicado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+