Tempo
|
A+ / A-

​Eça de Queiroz no Panteão até ao final do ano? Parlamento aguarda decisão final do tribunal

25 set, 2023 - 18:34 • Ricardo Vieira

Deputado Pedro Delgado Alves congratula-se com decisão provisória do Supremo Tribunal Administrativo, que não impediu a trasladação do escritor de “Os Maias”, como pede um ramo da família.

A+ / A-

O Parlamento espera que a cerimónia de trasladação de Eça de Queiroz para o Panteão Nacional possa acontecer até ao final do ano, mas é preciso aguarda por uma "decisão final" do tribunal, afirma Pedro Delgado Alves, deputado do PS.

Em declarações à RTP3, o deputado socialista congratula-se com a decisão provisória do Supremo Tribunal Administrativo, que não impediu a trasladação do escritor de “Os Maias”.

Pedro Delgado Alves sublinha que a cerimónia não vai acontecer na quarta-feira, dia 27, como está inicialmente previsto, e será marcada para nova data quando houver uma decisão final da justiça.

Questionado se a ida de Eça de Queiroz poderá acontecer ainda este ano, o deputado socialista manifestou esperança.

“Tudo esperamos que seja nesse sentido. Não quero comprometer com uma data porque temos de aguardar pela decisão e depois ver o encontro das várias agendas e da logística, mas esperamos que se mantenha em 2023 como inicialmente desejado”, declarou o parlamentar.

O Supremo Tribunal Administrativo decidiu esta segunda-feira não travar a trasladação do escritor Eça de Queiroz para o Panteão Nacional, como pede uma providência cautelar apresentada por alguns dos familiares de Eça de Queiroz.

Segundo o despacho a que a Renascença teve acesso, o juiz alega que os seis herdeiros queixosos representam uma “minoria dos descendentes vivos”. Tratam-se de seis bisnetos que estão em minoria em relação aos restantes 13, que representam a vontade de avançar com a trasladação, explica o tribunal.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+